Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

São Paulo. O Iraque é aqui.

Nos últimos dias, o estado de São Paulo está em estado de sítio. É uma luta desigual: O crime organizado contra o poder público desorganizado.

Quase 90 pessoas foram mortas. Na maioria, policiais. Sei que há corrupção na polícia. Há a chamada banda podre. Mas tenho certeza, que a maioria desses policiais são honestos, de boa índole, que por um mísero salário, arriscam suas vidas para tentar defender a população de ataques de fuzis, granadas, coquetéis molotofs, na maioria das vezes, com um 38 velho.


Há alguns dias, ouvi o governador de São Paulo licenciado do cargo para a disputa da presidência da república Geraldo Alckmin, dizer que o presidente Lula deveria sair do salto alto. E mais, que ele, Alckmin, estava usando as “sandálias da humildade”. Pode até ser verdade. Mas este mesmo Governador deveria dizer a seu pupilo e sucessor Cláudio Lembo (ex-vice de Alckmin, e atual governador de São Paulo) utilizar as mesmas sandálias. Foi oferecido pelo Governo Federal ajuda, mediante envio de tropas do exército, polícia federal e esquadrões especiais, para auxiliar no combate ao crime em São Paulo. A resposta foi.....NÃO!!! Claudio Lembo. Cláudio “Leso”. E porque não? Cláudio Salto-Alto. Ainda por cima, é do partido PFL, o partido dos coronéis. Só se for coronel de araque.

Quem acompanha um pouco de política, sabe o motivo desse NÃO. É político. Se o atual governador aceitasse a ajuda, e essa fosse eficaz, poderia fortalecer a candidatura de Lula à re-eleição. Mas, neste caso, não se trata de política. Trata-se de Segurança Pública. E este tema, assim como a Educação, deveria estar além da disputa de poder, porque sempre, quem paga pela ineficiência do Estado, é a população. Desta vez, o contra-peso pela movimentação nesse tabuleiro de estratégia política, foi à morte covarde de muitos policiais. Pais de família.

Falando em reforço policial, que tal trazermos de volta as tropas do exército que estão no Haiti? (O Haiti é aqui. O Haiti, não é aqui). Proponho um acordo: Trazer as tropas e levar Anthony Garotinho. Mais do que repressão, àquelas pessoas precisam aprender a viver com pouca comida, e nosso querido pré-candidato à presidência se mostrou totalmente hábil neste quesito. Sem ironia agora, o que o Haiti precisa é de ajuda em questões sociais, como educação, saúde e alimentação, e não de tropas do exército.

Educação. Este é o caminho. Estamos muito atrasados nesta questão. Nossas crianças estudam oito anos e não aprendem sequer a ler e escrever, ou as quatro operações fundamentais da matemática. Hoje, li um artigo que dizia que cada secretário ou ministro da Educação que assume o cargo almeja muito mais reconhecimento e venda de livros, do que melhorar a Educação. Fazem os professores fazerem cursos de reciclagem, atualização, etc. É o mesmo que dizer que eles não sabem dar aula. Acho que esses cursos talvez até sejam necessários, para alguns professores que estejam com dificuldades. Mas o principal é a melhoria do salário (medida que serviria também para os policiais), das instalações escolares, além de criar uma cultura de educação e leitura neste país, já que a maioria das crianças vão a escola à troco da merenda.

Há alguns anos atrás, Bush foi re-eleito. Fiquei indignado. Não consegui entender como o povo americano, tão pretensioso e arrogante, conseguia votar num calhorda destes. Mas, pelo menos nestes últimos dias, admiraria Bush, se ele ocupasse o Cargo de Secretário de Defesa do Estado de São Paulo. Estes 700 detentos que foram transferidos de cadeias e causaram todo esse reboliço, seriam dizimados. Esta organização criminosa, o PCC, seria desmantelada. Se ele fez aquilo com o Iraque, matando milhares de civis e soldados americanos, o que faria com um presidiosinho? Deixando a ironia novamente de lado, o que aconteceu nestes últimos dias no Estado de São Paulo é humilhante. A população à mercê desses bandidos. Peço autorização aos bons baianos Caetano e Gil, para finalizar este meu texto com um plágio de uma de suas músicas: “O Iraque é aqui. O Iraque, não é aqui”.

Ivan Sanches
ilsanches@gmail.com
Ivan Sanches
Enviado por Ivan Sanches em 15/05/2006
Código do texto: T156777

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivan Sanches
Santo André - São Paulo - Brasil, 34 anos
141 textos (12236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:14)
Ivan Sanches