Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um dia de fúria

Não!
Não fiquei ileso aqui na minha pequena e pacata cidade de "Miracema do Norte".
O engraçado é que eu fiquei tentando explicar a situação para um primo meu que mora em MIAMI o dia todo e ele não conseguia visualizar como um todo. Acho que só mesmo quem vive nesse país, pode achar isso normal e não fazer uma revolta popular!
Aqui houve ataque em agências bancárias e bases da Polícia Militar e Civil, e rebelião no Centro de Detenção Provisória daqui de Piracicaba, e uns 2 ônibus queimados!
Mas ao invés de falar do que todo mundo viu em todas as cidades, vou chamar atenção para uma coisa interessante também.
Desde tempos incontáveis, muito antes de se inventar a escrita, foi inventado o meio de comunicação mais eficiente de se propagar notícia até hoje.
Mais rápido que a Internet, mais rápido que o PCC.
O boato!
Hoje, disseminado a velocidade do celular, a incrível rapidez que as notícias infundadas e exageradas se espalham, foram a causa da reação em cadeia que levou a convulsão social! Até acho que essa era a idéia do PCC. Além de usar o terrorismo físico, usam o psicológico que atinge mais pessoas e o efeito dobra.
Lojas fechadas, alunos dispensados, e um clima de guerra vivido pela população.
Toda a rotina da cidade foi alterada por boatos e davam sensação de pânico. Um dos mais comentados aqui na cidade é de um ataque ao Shopping Piracicaba, que ele teria sido metralhado, o que acabou provocando o fechamento da maioria da lojas lá por volta das 14h.
O comércio todo fechou mais cedo no Centro. As escolas também dispensaram alunos mais cedo, por que não tinha ônibus (de verdade), pois havia ameaça de ataque ao terminal principal. Disseram que o Delegado daqui havia sido assassinado, coisa que até agora não vi confirmado. Outro boato negado é sobre a fuga de 200 detentos do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Piracicaba e eles iriam fazer arrastão pela cidade.
A rebelião aqui teve início às 9h30 de domingo foi controlada por volta das 14h30 da segunda-feira.

A pergunta que não quer calar: Que país é esse?
Marco Romano
Enviado por Marco Romano em 16/05/2006
Código do texto: T157033
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Romano
Piracicaba - São Paulo - Brasil, 48 anos
86 textos (4596 leituras)
1 áudios (80 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:18)
Marco Romano