Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Sonambulismo de meu Avô

Meu avô paterno – Camilo – era sonâmbulo e, uma vez, ele se viu em apuros por  isso. Ele e minha avó Mariazinha moravam  com os 4 filhos no bairro Porto Velho – numa pequena e única casa que lá havia. Certa vez, apareceram três mulheres amigas de minha avó, pedindo  para passar a noite em sua casa, pois estava tarde  e não tinham como ir embora para a roça.
O único lugar disponível  era a sala. Minha avó colocou colchões no chão e acomodou-as como pode. A casa, ou melhor, o barraco  era  bem   humilde e nem portas havia a não ser a da sala e a da cozinha,  mas ali elas se sentiram à vontade e cansadas logo dormiram. Uma lamparina ficava acesa a noite toda, pois se alguém precisasse usar o “pinico”, não cometesse algum “ato falho”.
Meu avô foi deitar preocupado, vendo aquelas mulheres ali na sala bem perto de seu quarto,  sem nenhuma separação e as coitadas nem  sonhavam com seu  problema de sonambulismo. E não deu outra.
Lá pelas tantas, olha meu avô levantando e dirigindo-se para a sala. A claridade era pouca mas dava para perceber os vultos. Ele foi chegando e logo segurando nos pés das mulheres e  falando que elas estavam afogando, querendo salvá-las. Elas, acordando assustadas, esperneavam e gritavam. Ele largava os pés de uma e pegava os  da outra.
Mas com a algazarra ele acordou e foi “murchinho” para o quarto, onde permaneceu envergonhado até que o dia amanheceu,  quando  as mulheres saíram de fininho e foram embora!

P.S.: Dinho Camilo morava perto do Rio Itapecerica que corta, quase ao meio,  a cidade de Divinópolis. Durante muitos anos ele transportou as pessoas em sua canoa,  porque a única ponte  que havia era distante e representava  uma enorme volta para quem quisesse ir ao centro da cidade ou voltar para sua chácara. A senha era só gritar “Sô Camilo”e o eco chegava  aos ouvidos de vovô que corria, todo solícito,  e gratuitamente atravessava de canoa aquele passageiro.  O Rio foi um grande marco em sua vida.

fernanda araujo
Enviado por fernanda araujo em 16/05/2006
Reeditado em 27/05/2006
Código do texto: T157083
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
fernanda araujo
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
1058 textos (204243 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 16:52)
fernanda araujo