Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LINGUAGEM UNIVERSAL DO AMOR



Apesar de morar num lugar tão maravilhoso, cheio de praias lindíssimas, já fazia muito tempo que não ia a uma praia. Na verdade já estava ficando transparente.
No domingo passado resolvemos ir à praia, entretanto, já saímos de casa muito tarde. Fomos a praia de Piatã que a essa altura estava superlotada .
A praia hoje , assim como as sinaleiras, se tornou um verdadeiro comércio, o que as vezes incomoda bastante. A praia a essa altura estava superlotada e temos que ter uma paciência de Jó quando resolvemos pedir alguma coisa, pois além da barraca ficar bastante longe de algumas mesas como era o caso da nossa, o garçom fica totalmente perdido no meio de tantos pedidos, o que justifica muitas vezes a troca dos mesmos.
Fora todos estes entraves, a praia estava linda, o dia maravilhoso, o sol de um brilho tão intenso que chegava a incomodar tamanha era a claridade, e o céu?! AH, o céu, não tinha uma única nuvem branca, de um azul anil limpo, puro e intenso, o que me fez lembrar da famosa poesia do Gonçalves Dias.
Peço perdão pela minha falta de humildade em relação a minha terra, mas moro numa terra abençoada por Deus. Aqui não chove granizo, não tem tempestades repentinas, e em relação a violência, não chega a ser o ideal mas é menos pior que em outros lugares. O sol nos prestigia quase todos os dias e quando resolve esconder-se, é somente de “mentirinha” pois logo retorna, enfim, sou suspeita ao falar pois sou verdadeiramente apaixonada pela minha terra.
Na verdade não tinha nenhuma intenção de falar da minha terra e sim de um fato que aconteceu na praia.
Depois de algum tempo acertando mesa... caçando cadeiras...conseguimos nos ajeitar, e enquanto aguardávamos a maratona do garçom para nos trazer alguma bebida, eu distraidamente conversava com minha filha e quando olhei para baixo, um menininho de mais ou menos uns 2 anos de idade brincava com uma pazinha na areia, ele parou com a mãozinha para cima como que congelado me encarando...era lindo!!!Encarei-o também e comecei a falar com ele, mas ele não me respondia...insisti várias vezes...porém não obtive resposta...em dado momento, parei, e com os lábios soltei um beijo...ele deu um sorriso lindo e com a mãozinha suja de areia respondeu ao meu beijo!!! A mãe percebeu que fiquei embaraçada porque ele não respondia ao que eu perguntava se aproximou e me explicou que ele era surdo. Nesse momento entendi o motivo do seu silêncio...meu primeiro sentimento, infelizmente foi o de “pena”, mas a mãe me explicou que ele já estava em tratamento e que em breve estaria utilizando um aparelho auditivo, mas o que mais me impressionou foi a resposta ao meu beijo. Entendi na prática a linguagem universal do amor, que o amor é o sentimento mais nobre e forte entre as pessoas, que como está na Bíblia, todos os dons cessarão menos o dom do amor, pois ele ultrapassa todas as barreiras porque ele é total, único, universal e insubstituível.







Sandra Mamede
Enviado por Sandra Mamede em 19/05/2006
Código do texto: T158644

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sandra Mamede
Salvador - Bahia - Brasil, 64 anos
202 textos (30653 leituras)
2 áudios (210 audições)
1 e-livros (55 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:36)
Sandra Mamede