Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Naturalidade

Disseram-me que quando você escreve, tem que demonstrar naturalidade. Tem que ser algo espontâneo e repentino. Sabe que eu concordo? Usaram até uma expressão interessante - tem que ser natural, como peidar no elevador. Mmmm... Eu não vejo nenhuma naturalidade em peidar no elevador (que fique claro que é uma escolha pessoal!), tudo bem, mas a expressão - de fato -  passou a mensagem que ela devia passar.

Legal, legal... Agora eu devo estar possuído pelo espírito da naturalidade obsessiva - eu não paro mais de escrever. Qualquer besteira escrita nessa crônica não foi obra minha, e sim do tal espírito, certo? Se não quiserem correr o risco de lerem coisas esquisitas e indecifráveis, sugiro pararem de ler agora (no fundo o que eu sugiro desesperadamente é uma única coisa: leiam! Não parem de ler! Leiam!). Que ousadia! Logo eu, um mero iniciante, sugerindo aos poucos leitores que parem de ler. Acho que só o velho Machado poderia fazer isto. É o espírito, tem que ser. Eu sabia. Mas o que eu sei mesmo é que agora eu despertei uma maligna curiosidade em vocês quanto ao que vem a seguir. Eu sou mau. Com um toque de malícia e sutileza você pode conquistar o mundo (Ah, convenhamos... Não chega a tanto...).

As idéias estão vindo e se misturando a um infinito de pensamentos, e eu quero ver agora o resultado. Sei lá como vai sair a crônica depois de revisada, aromatizada e devidamente embalada... A única coisa que eu sei é que eu estou enrolando o máximo possível nesse sutil documento do Word (realmente é incrivelmente fácil escrever aqui... Outro dia eu pensei em pegar a máquina de escrever, mas para que eu deveria voltar no tempo? Bom, isso já é assunto para outra crônica). Não sei por que, mas crônicas maiores causam impacto. Ou não. Pronto. Agora o espírito da incerteza tomou conta da minha mera existência. Não sei de mais nada. O que eu sei é que estou tentando ser natural: não como peidar no elevador, mas como nadar pelado num dia de chuva.
Lucas Peths
Enviado por Lucas Peths em 21/05/2006
Reeditado em 25/11/2007
Código do texto: T159919
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o nome do autor, juntamente com o link/local em que a obra foi publicada originalmente). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucas Peths
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 26 anos
35 textos (16321 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:14)
Lucas Peths