Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE É A FORÇA DA PALAVRA

É preciso saber usar a força da palavra...
Mal empregada, é perigosa...
Osculos e amplexos,
Marcial

O QUE É A FORÇA DA PALAVRA
Marcial Salaverry

Devemos usa-la convenientemente, pois a palavra é um dom dado por Deus aos indivíduos ditos racionais.  Acontece que sempre  vemos tanta gente dizendo tanta coisa inconveniente, que começo a ter sérias dúvidas sobre a tão decantada racionalidade da raça humana.
Com toda certeza, existem muitas controvérsias sobre essa afirmação, de que apenas os serres chamados de racionais possuem o dom da palavra, pois os animais se comunicam entre si, e por vezes de uma maneira bem mais civilizada que os humanos.  Enfim, são meros pontos de vista, e sem dúvida, cada qual tem o seu, e deve ser respeitado.  Como devemos respeitar os alheios,  os nossos também deverão ser respeitados. Essa é uma das mais antigas máximas de como viver em paz no mundo.  Mas, nem todos a respeitam, e aí que começa a bagunça.
Um dos pontos em que o uso da palavra é mal direcionado, é justamente esse que estou usando agora, ou seja, o costume que muitas pessoas tem, de tentar convencer a outrem, de que ele está errado, e que sua maneira de pensar é a correta.  Considerando que  “em cada cabeça uma sentença...”, sempre devemos respeitar o pensamento de nossos semelhantes, como gostamos que os nossos sejam respeitados. Parece difícil, mas na realidade não o é.
Existem certos assuntos que podem ser considerados “tabus”, quais sejam, política, religião, futebol, preferências sexuais, pois cada qual tem o seu jeito de enfocar o assunto.  Se quisermos que nossas idéias sejam respeitadas, deveremos aprender a respeitar  as idéias alheias.  É aceitável que se troquem opiniões sobre esses assuntos tão polêmicos, com cada qual expondo a sua, mas sem que haja a tentativa de convencer de que estamos certos, e os que não pensam como nós, estejam errados.
Dentro dos respectivos pontos de vista, ambos estão certos, e ambos estão errados.
Após uma troca de idéias, talvez alguém se convença de algo,mas sem que haja qualquer imposição. Sem que uma das opiniões se sobreponha pela força.  Apenas a força dos argumentos é que deve ser usada.
Li em algum lugar, dito não sei por quem (talvez por L’Inconnu),  algo que vale a pena ser analisado. Vejam se não tenho razão:
"3 coisas que não voltam atrás: a Flecha, a Palavra e a Oportunidade"
Sem dúvida alguma.  Depois de lançada, a flecha não pode voltar, nem sequer desviar-se do rumo dado.  Se a mira não foi correta, ao invés da maçã, acertará no nariz... Óbvio então, que se deverá ter o máximo cuidado ao arremessar uma flecha...
Quanto à palavra, é aí que mora o perigo, pois geralmente a língua é muito mais rápida do que o cérebro, e essa é uma das vantagens do computador, pois você lê o que escreve, podendo analisar as besteiras antes de as mandar em frente.
Mas, quando falamos, não há tecla Del que resolva, pois uma vez dita, a flecha oral já foi lançada... Certo que sempre existe o recurso da famosa frase: “Pô... desculpa, não foi isso que eu quis dizer”... Acontece que disse.  Uma vez dito, dito está.  Uma frase ofensiva, por vezes jamais será esquecida. E quantos problemas que todos já tivemos por causa desse açodamento no falar.
É exatamente por isso que sempre é necessário ponderar-se bem durante alguma discussão, para que não se diga nada irremediável.  Por vezes um : "não quero mais te ver na minha frente", é levado a sério,  portanto, há que se usar o cérebro primeiro, e depois a língua.
Quanto à oportunidade, o que se pode dizer é que nunca podemos descartar uma oportunidade que nos surge, antes de analisá-la profundamente, pois uma vez descartada,  não mais voltará.
Disso tudo, a única conclusão a que podemos chegar, é que sempre devemos  usar a ponderação, evitando atitudes precipitadas.  Pensar e analisar primeiro, falar depois.
Vamos usar a palavra de uma maneira pacífica, sem agressões. Devemos procurar enfatizar nossos méritos, sem denegrir a imagem de quem quer que seja.  Devemos tentar mostrar que somos bons em alguma coisa, ao invés de perder tempo tentando mostrar que alguém não sabe o que faz.
Ao perceber que alguém não faz as coisas corretamente, cabe-nos apenas alertar essa pessoa de que está agindo incorretamente, ao invés de pura e simplesmente insultá-lo, apontando seus defeitos, pois defeitos,  todos os temos, e devemos primeiro corrigir os nossos antes de dar uma de dono da verdade, esperando que todo pensem como nós.
Certo de que todos tem direito a seu espaço na Terra (e abaixo dela também...), deixo aqui consignado meu desejo de que todos, sem exceção, tenham UM LINDO DIA.

Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 25/05/2006
Código do texto: T162719
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19860 textos (1963162 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:58)
Marcial Salaverry