Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ACELEREM ESTE PAÍS QUE EU QUERO CRESCER!

O brasileiro já começa o ano olhando para a folhinha para ver quantos feriados prolongados ele irá curtir. E este ano, vamos falar a verdade, está sendo um ano bem generoso.

Generoso pra quem?  Só se for pra quem tem dinheiro para aproveitá-los, porque a maioria da população...

Janeiro é o mês das férias, ninguém quer trabalhar. É preciso pegar aquele “bronze” nas praias, afinal  fevereiro está ai com o carnaval. Como exibir o corpo com aquele “amarelo escritório”? Quem vai querer fazer feio perante tanta beleza exibida nas nossas telinhas? Conheço muita gente se enforcando em dívidas para manter essa tabela de beleza, com tratamento mirabolantes na promessa da juventude eterna!

O mês vira, chegamos ao mês do rei da folia, vamos todos fazer reverência a ele. Afinal somos ou não o País do Carnaval? Mais algumas dívidas com confetes, serpentinas, fantasias? Não tem problema! Afinal a gente se diverte tanto com essa folia! É tão salutar, tão familiar esta grande festa que nos torna famosos no mundo!

Essa coisa de se falar que é uma festa pagã, onde o aumento do turismo sexual é maior, onde o consumo de álcool e drogas fica descontrolado é intriga daqueles beatos que não sabem aproveitar a vida! E que mania de todos falarem que as escolas de samba são patrocinadas por bicheiros e toda uma gama de ilegalidade. É tudo tão lindo, para que se perder tempo pensando nisso? Ah... Este meu País!

Vamos virar a folhinha, estamos em março, a corrida pelo material escolar. Lá vai barão! Mas nada que um empréstimo aqui, um cartão de crédito ali não resolva!

No mês que vem eu resolvo como vou cobrir essas faturas. Mês de abril, que vem recheado de feriados prolongados. Mas ainda tem sol, é preciso, necessário mesmo voltar ao bronze da pele! Ah... A vida é tão curta, vamos aproveitá-la!

O mês de maio chegou, mas eu estou tão apertado para comprar o presente do dia das mães. Mas a moda dita que se compre um celular de ultima geração, com toda nova tecnológica tão necessária à nossa sobrevivência. Será que conseguirei crédito na praça? Lógico que sim, afinal quem não quer vender?

Oba! Enfim chegou o mês mais esperado pelos milhões de brasileiros este ano... Olha a Copa do Mundo aí gente! Já estou na porta da loja indo pegar o meu TV de tela plana, 42 polegadas, afinal a data pede isso! Além do que todas elas vêm com um kit da copa com camisetas, bonés, bandeiras.

E isso é somente de quatro em quatro anos! Todos têm que compreender isso! O País pára, ansioso por mais um título, que vai fazer tanta diferença do nosso cotidiano!
 
Em julho tem férias, agosto dia dos pais, setembro feriado, outubro se começa a campanha política, novembro eleições...

CHEGA!
 
De quem é essa realidade que vive este País? Estamos traçando o perfil de 1% da população? Porque o que eu vejo é uma outra realidade. De um povo deixando de ser pobre, para ser miserável. De favelas crescendo a cada minuto e na mesma velocidade em que outras pegam fogo exatamente porque os pais precisam deixar as crianças em casas, trancafiadas enquanto buscam o alimento do dia, alimento esse que vai continuar mantendo-os sub nutridos!

De um povo que está cada dia mais endividado e não para pagar férias, fantasias, TVs de 42 polegadas e sim para pagar as contas do mês: o aluguel, água, energia elétrica. A comida será comprada se o dinheiro der para isso, ou se alguém colaborar para que ela chegue à mesa.

Estamos falando de uma nação à beira do caos político sócio econômico. Onde o povo, por ser conhecido como pacifico, espera nos bastidores que se estoure essa guerra civil que todos sabemos existir.

Chega de levar a vida no oba-oba! Senhores governantes, senhores donos das grandes concentrações financeiras ACELEREM  ESTE PAÍS PORQUE EU QUERO CRESCER!

Quero ter a chance de poder ter uma mesa farta. Ou pelo menos dar o necessário à minha família. Quero uma escola digna, não este pão e circo que o estado está proporcionando aos estudantes. Quero o direito a um plano de saúde, para que eu seja dignamente tratado e não me sinta um trapo nas mãos da saúde pública.

Quero poder morar e não me esconder num beco qualquer, tentando mostrar aos meus filhos que isso é um lar. Sonhar com a alegria do meu filho ao freqüentar um restaurante, um cinema, um parque de diversões.

Porque esta é sim a realidade do Brasil! Não é o povo que sonha pequeno, não... É a realidade imposta pelo poderio econômico e pela corrupção instalada que nos tornou um País a mendigar o mínimo necessário a uma condição digna de se viver.

Queremos voltar a crescer, para então com orgulho poder cantar o nosso tão querido hino!

Enloucrescida
Enviado por Enloucrescida em 30/05/2006
Reeditado em 30/05/2006
Código do texto: T165948

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Enloucrescida
Santo André - São Paulo - Brasil
634 textos (89716 leituras)
14 áudios (2047 audições)
4 e-livros (1045 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:45)
Enloucrescida