Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Descascando Cebolas

Aqui estou com o coração cheinho de saudades

Estive ausente cuidando de filhos

Cumprindo com compromissos assumidos

Ocupada  com tarefas domésticas

Pois a minha secretária também esteve adoentada

Descasquei  muitas cebolas

que permitiram meu choro disfarçado

em lágrimas de ardências

com muitas carências

Chorei muitas coisas

com algumas tristezas

com algumas alegrias

Chorei pelas possibilidades

que não busquei em minha vida

Chorei de emoção por ter uma família

que me ama, mais do que mereço

Chorei pelas soluções que não pude dar

Chorei pelas oportunidades perdidas

Chorei de saudade, de não sei o quê

Chorei de saudade, não sei de quem

Chorei de saudade de alguém

Chorei de saudade de você...

E assim, fui ficando cada dia mais afastada

Quanto mais refletia, mais saudades sentia


Fiquei paralisada nas minhas saudades

Talvez esperando ser chamada por um carinho

Talvez querendo testar se sou querida

Talvez desejando apenas um toquezinho

Insegurança? Imaturidade?Inquietude? Reflexão?

Cansaço? Fazendo expectativas

De tudo um pouco

São ações e reações do nosso lado humano

que respeito quando acontecem

Mas ao mesmo tempo me deixam assim...

Assim ainda com vontade de chorar

Não falo de um choro de chorona, que chora a toa

Falo sim, do choro de  emoções que ficam materializadas e só quando ultrapassam o corpo dos meus olhos saem de dentro de mim

Falo dessas gotinhas transparentes

cristalinas, milagrosas

que escorrem sobre minha face

sejam elas de alegria

sejam elas de tristeza

molham meu rosto

não importa, são muitas vezes indispensáveis

O que importa sim é o quanto necessito delas

Não as mostro, por isso descasco cebolas

Resolvi que de hoje em diante

elas estarão presentes

em minha vida, sempre que necessárias

Não estava conseguindo tirar o sorriso

dos lábios há muitos anos

Decidi dar um descanso para ele

Mas ele me persegue, se misturou comigo

faz parte da minha personalidade

Daí estar aqui escrevendo rindo

e chorando ao mesmo tempo

E como é bom rir da gente mesmo

E como é saudável chorar sem vergonha

Como é gostoso chorar

sem precisar descascar cebolas

E nesse momento

o meu sorriso faz cumplicidade com a coragem

e só assim, consigo chorar de verdade!

(Sandra Lúcia Ceccon Perazzo)
Sperazzo
Enviado por Sperazzo em 01/06/2006
Reeditado em 15/11/2010
Código do texto: T167118
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sperazzo
São Paulo - São Paulo - Brasil
303 textos (25337 leituras)
33 áudios (1125 audições)
1 e-livros (88 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:35)
Sperazzo

Site do Escritor