Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Homilia mais Linda!

             A Homilia mais Linda!
                                                                               
               Dona Francina, uma pequena e grande senhora, era uma mãe dedicada. Enérgica na educação de seus filhos, criou-os no berço de ouro da moral, dos bons costumes, do trabalho e da cidadania. Se mais Francinas existissem, garanto que nosso Brasil estaria em caminhos mais seguros. Morou em Pitangui por muitos anos. Lá ainda está a casa, onde os filhos, de vez em quando, reúnem-se e matam a saudade daqueles bons tempos.
               Muito religiosa, Dona Francina levantava bem cedo, aos domingos, ia à missa na Matriz de Nossa Senhora do Pilar e, ao chegar a casa, tirava a meninada da cama para que eles também fossem cumprir o sagrado preceito dominical. Mesmo com aquela gostosa preguiça de ficar mais tempo dormindo, todos se levantavam e, de banho tomado, ouviam, antes de sair, a costumeira recomendação da zelosa mãe:
               — Prestem atenção na missa! Escutem bem o que fala o padre. Quando voltarem, quero que me contem tudo!
               E, quando chegavam, ela cumpria o que prometera:
               — Qual o Evangelho de hoje? O que explicou o padre no sermão?
               Num domingo, o pequeno Antônio Augusto estava radiante. Ele teria roupa nova para “ver Deus”. Dona Francina, exímia costureira, havia-lhe presenteado com uma calça azul e uma blusa branca. Sapatos novos foram necessários, pois os já surrados tênis iriam destoar daquela roupa novinha em folha. Preguiça ele não teve. Logo se aprontou, quando o sino da matriz tocou. Com suas pernas gordinhas, a ladeira ele subiu todo cheio de si, exibindo sua vestimenta. Assistiu à missa, só Deus sabe como! Mais olhava para a roupa que rezava, mas Deus entende dessas coisas e não deve ter se zangado com aquele menino tão garboso de apenas sete anos.
               Mas, ao  voltar a casa, é que ele sentiu o peso da glória. Mal chegou, foi interpelado pela mãe:
                — E aí, Antônio Augusto, assistiu à missa direitinho?
                — Sim, mamãe!
                — E o padre, o que disse?
                Ele disse:
                — Esse menino de calça azul e de blusa branca, está muito bonito!
                A surra que levou, mesmo de  roupa nova,  ele nunca esqueceu.
fernanda araujo
Enviado por fernanda araujo em 06/06/2006
Reeditado em 27/07/2012
Código do texto: T170380
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
fernanda araujo
Divinópolis - Minas Gerais - Brasil
1058 textos (204238 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:29)
fernanda araujo