Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


AMOR É UM BICHO ESTRANHO

          Bicho dos mais esquisitos este tal de amor. Sujeitinho exibido, exigente que, por conveniência, mais das vezes canta de sereia. E lá vamos nós todos nos atirar do barco e mergulhar em suas águas. Cara cheio de manias, o amor não quer saber de nada: o amor quer amor e quer amar. E exige, em altos brados ou sussurros dengosos sua lista de exigências: "Você não me beijou antes de sair...", "Nem viu que troquei a cor da mecha número 43 do lado esquerdo dos meus cabelos?" ,"Onde é que você foi às 14:37 e 25 que não atendeu o celular? Fiquei todo preocupado".
          Amor é bicho cheio de preocupação. E você que se acostume, porque se o outro lado não se preocupa contigo, amor é coisa que anda bandeando pra outro objeto que não seja vocezinha a pessoinha em questão. Amor fala pra cacete mesmo quando tá mudo. Uma boa providência é aprender a ler os sinais. Não aqueles de surdo-mudo, mas os que o amor manda a cada segundo e se a sua intuição e capacidade de observação não estiverem boas logo vocês farão um acordo: você entra com a bunda  e o outro com o pé.
          Amor exige atenção e nem vem com essa de que se o outro quer tem que se manifestar. Quem ama quer e quer que você adivinhe, sim senhores. Que você mande flores e presentes inesperados, que de vez em quando você abra mão do seu dia marcado da semana pra jogar poker com sua turma só pra ficar com sua criatura, que você deixe de lado aquela sua mania de dormir de camiseta furada e se ponha bonitinha só pra ter que tirar tudo depois, que você isso e aquilo sem que ninguém tenha que pedir.
          Amor quer conversa e nada daquela lenga-lenga de que vocês se entendem só no olhar porque amor PRECISA discutir a relação e acordar todo dia se perguntando e se respondendo - e é claro, PUBLICANDO - que sim, quero continuar com você hoje e se a gente for competente, o resto dos dias.
          Amor não está preocupado com suas manias e seus planos. Ele exige que você tenha culhões ou peito suficiente pra jogar seus belos planos e adequações no raio que te parta apenas para vivê-lo. E sem achar que é sacrifício. Conversando e resolvendo, porque amor quer é conversa, muita conversa. Porque quando as partes físicas já forem muito velhinhas e não funcionarem tão a contento, o que vai sustentar a brincadeira é a tal da conversa.
          Amor precisa de cuidado. Porque ninguém pode ver uma dupla in love que logo vai aparecer quem queira fazer um estrago só pra curtir o desastre. E ai, ai  se um dos dois for distraídos ou com muita necessidade de massagem no ego, porque aí o amor vai pro cacete.  Ou melhor, não vai a lugar algum
          Se você tem um amor assim, aconselho fortemente que segure e cuide bem . Dá um trabalho dos diabos, mas é bom que só...
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 12/06/2006
Código do texto: T174419

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154037 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:47)
Débora Denadai

Site do Escritor