Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

mais um regresso

Este é mais um regresso sem ter chegado a desaparecer, é apenas o aparecer depois de algum tempo des_aparecido: assim ou algo parecido...
É a consciência de não ter condições práticas de continuar a ler O Recanto... como li, tentei ler.
De repente torno-me um desconhecido, conhecido: modifico-me, para pior como pessoa? Sou outro personagem. Primeiro lia e comentava, visitava quem me visitava. Agora escrevo porque tenho que escrever para escrever, basicamente, escrevo porque escrever já é um hábito mais antigo que eu: já tem memórias onde eu não tenho memória.
Poderei sempre re_clamar: - Tenho memórias de quando ainda não sabia escrever! Que dizer se responder: - Tenho mais memórias escritas esquecidas que todas as que possa lembrar, escritas ou não.
Cada frase fica como uma memória reportando algo, escrevo desde os sete anos, comecei aos quatro ou cinco *. Tenho cadernos com redacções desde muito novo na escola e cheguei ao meio da vida, agora envelheço sem pressa, tentando renascer todos os dias.
Deixou de me apetecer ler no Recanto..., a isso junto o não ter Net em casa. É uma coisa temporária? Também..., mas prefiro ler livros.
Estão sempre convidados a convidarem-me para ler e procurarei comentar, só que é uma promessa que não sei como cumprir.
Vou manter correspondência com a Mim? e ela publicará, logo se vê o que dará. Não levarei a mal se me deixarem de ler ou comentar, mas quero registar o facto de haver de novo espaço para os comentários. Pelo menos para ficarem visíveis os antigos enquanto não forem apagados: a saturação de memória do "servidor", com limpeza periódica...
Todos os dias… irei juntando um parágrafo numerado (são alguns...) do Assim, assim: §1...
Fica para o Fim, primeiro dizer que essa é a minha pública homenagem pelo meu primeiro e-book a quem o fez e ao que ficou feito. Publico "Angela Lara", carta de agradecimento à Angela Lara que é uma força da natureza:)

*
Tenho uma irmã mais velha um ano e pouco, quando ela entrou para a escola pedi à minha avó para me escrever o abecedário que enchia os jornais do avô... Comecei a tentar copiar letras ao calhas e consegui escrever rapidamente uma primeira palavra: pato, digo, PATO. Foi assim que comecei a nadar... na escrita, hoje é um pacto já muito antigo.

§1
Ler um livro deve ser como uma secreta paixão.
(preparação para ler o ebook "Francisco Coimbra" da Angela Lara)
Assim

{O "e-book" oferecido pela Angela Lara a mim e a todo o Recanto... e não só... está em:
http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=168580}
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 19/06/2006
Código do texto: T178414
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310488 leituras)
37 áudios (39565 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:30)
Francisco Coimbra