Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Etiqueta de Velório

Tive a idéia de escrever sobre isso devido à alguns fatos, como a morte do Bussunda e as várias homenagens (e esse texto não é uma crítica, ele era um grande personagem) e também um conto que eu li do James Joyce chamado As Irmãs. Pouco importa para quem vai ler o que impulsionou a construção do texto mas... e daí? O texto é meu e eu escrevo o que eu quiser, útil ou não.
Uma frase clássica dos velórios ao redor de todo o planeta, ao menos na Irlanda sei que também é dita pois no conto do Joyce ela aparece, é: Ah! Nem parece que ele está morto, parece que está apenas adormecido. Tudo isso com um olhar pesaroso e a cabeça balançando lentamente, acompanhando o ritmo também débil do ato de piscar nesse momento. Qual o motivo de querer agradar as pessoas que estão de luto com uma afirmação dessas? Digo isso pois quem faz esse tipo de comentário normalmente é algum parente distante ou um visitante do acaso. O que o visitante com a mente distorcida pensa? Que de repente o sujeito que ouve o comentário vai pensar algo como: Ah! Você tem razão, ele ainda pode estar vivo! Ao menos em nossos corações! E o parente, até então triste, sai correndo, dançando e cantando como em um musical da Broadway! Vai entender.
Vou continuar com o tema acima. Outro detalhe é que essa é sempre uma frase mentirosa. Parece que está dormindo.... Parece o caralho! A não ser que alguém durma com a face extremamente pálida e com uma expressão pétrea não vai parecer que está dormindo quando morreu. E se alguém dorme desse jeito provavelmente só está vivo por sorte ainda. Alguém que deve dormir assim, aliás é assim até acordado, é o Zagallo. Coitado em três textos é a segunda vez que cito o nome dele para falar coisas desagradáveis. Mas é verdade, se ele erguer os braços Deus puxa!
Outra coisa que não entra na minha cabeça é alguém dizer que quando morrer não quer ninguém triste, não quer ver (nem vai ver aliás pois o defunto nada vê) lagrimas no próprio velório, e sim sorrisos e ter certeza que todos estão tocando a vida em frente. Creio que seja uma bela mentira, duvido que alguém realmente queira isso. O que vocês pensariam se passassem por um velório e todos estivessem sorrindo, cantando e comemorando? Nossa cultura ocidental não permite este tipo de pesar! Sem duvidas o que vem à mente é: Nossa, morreu um filho puta, hein? Dito com uma risadinha e olhando para a pessoa ao seu lado no carro. Ninguém pensaria que ali, sobre a essa, jaz uma pessoa maravilhosa e que todos estão comemorando que ele está muito melhor agora.
Quando eu morrer não quero pessoas sorrindo e felizes no meu velório, caso elas apareçam por favor podem expulsá-las. Ou seja, se algum pérfido ousar sorrir, qualquer um tem a autorização para mandá-lo sorrir banguelo na calçada. Sou egoísta com esse momento sim! Não que eu irei ver alguma coisa, mas também não quero passar por um cretino sendo velado. Eu quero é dar trabalho mesmo. Um laivo de tristeza não me basta, quero a histeria. Pessoas chorando copiosamente, babando de tanto chorar, narizes escorrendo, mulheres com a maquiagem borrada e os homens fazendo comentários que, em uma situação diferente, poderiam soar até como viadagem de tantos elogios à minha pessoa! Não importa que seja mentira, desde que bem contada. Caso entre meus parentes e amigos não exista pessoas que façam isso podem contratar umas histéricas de velório, tenho quase certeza que elas devem existir.
O que farão com meu corpo pouco me importa. Se irão enterrar, cremar, dissecar, doar, jogar no rio, qualquer opção para mim é válida. Podem até jogar em cima do telhado, contanto que o façam chorando, e muito.
Ah, a trilha sonora também é importante. Pode ser o Réquiem do Wolfgang Amadeus Mozart mesmo, todas 14 partes do Réquiem Aeternam até Lux Aeterna tocadas na íntegra. Se eu mudar de idéia deixo aqui uma seleção de musicas interessantes.
Resumindo para os preguiçosos que só irão ler o primeiro e o ultimo parágrafo. Que a alacridade passe longe do local do meu velório, sem sorrisinhos a menos de 100m do caixão. Não digam que eu pareço estar apenas dormindo e chorem, mas chorem muito, mesmo que seja mentira para impressionar quem estiver de passagem! E Também não precisam me velar até que o miasma tome conta da atmosfera, isso já iria demonstrar um lado muito tosco na minha morte. Melhor uma horinha bem chorada do que um velório demasiado longo em que as pessoas já começam a formar rodinhas pra contar piadas.... piadas geram risos, e risos estão fora! Ou ainda rodinhas para lembrar os bons tempos... se for para lembrar e chorar pode, mas lembrar e sorrir já é abuso!
Lovato
Enviado por Lovato em 25/06/2006
Código do texto: T182024
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lovato
Londrina - Paraná - Brasil, 32 anos
6 textos (1403 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:09)
Lovato