Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O METRÔ E A INTERNET

Romeu Prisco

O metrô e a internet ? O que um tem a ver com o outro ? Respondo: ambos, além de serem meios rápidos de transporte e de comunicação, possuem em comum a impaciência dos seus usuários.
 
Quem se utiliza do metrô, pelo menos na cidade de São Paulo, já viu algum dos seus usuários andando em "marcha moderada" (não confundir com "lenta") dentro das dependências das estações ? Pode até ser que tenha visto,  porém, trata-se de caso raro. A maioria anda em disparada, como que querendo acompanhar a velocidade dos trens, e acaba atropelando aqueles poucos que, como eu, caminham normalmente.

Então, cabe outra pergunta: estariam todos atrasados, com medo de perder trens que se revezam a intervalos curtíssimos, para chegar ao serviço, ou apressados na volta para casa ? Ora, como não é possível que todos, ao mesmo tempo, estejam vivenciando idênticas situações, a conclusão a que se chega é que boa parte desses usuários é, simplesmente, impaciente. Impaciência que, diga-se de passagem e ao que tudo indica, decorre de um reflexo condicionado.
 
E a impaciência dos usuários da Internet ? Pelo que pude constatar como participante de grupos literários, a impaciência se dá diante de textos longos, ou assim considerados aqueles acima de "x" kb. Até mensagens mais extensas acabam sendo desprezadas. Quando me iniciei como escritor na internet, pretendia ser um contista. Pois bem, escrevi contos que nem mesmo a minha mãe leria.

Depois passei para os minicontos, que nem mesmo meus filhos leriam. Agora devo apelar aos microcontos, que talvez nem mesmo meus netos leiam. Imagine-se um usuário da internet tendo de ler, na telinha, um conto de Machado de Assis !
 
Resultado: na internet, tudo tem de ser curto, conciso, de modo a ocupar o mínimo de espaço, para não desafiar a paciência do usuário-leitor e nem congestionar a memória do seu PC. Até aí, nada de anormal, se é que assim se pode dizer. Todavia, quando se vê textos intitulados de "poema", contendo tão somente 4 (quatro) palavras, 2 (duas) em cada 1 (um) dos 2 (dois) versos, fazendo o maior sucesso, como é o caso de conhecida escritora da internet, "isso", para mim, não é poema nem aqui e nem lá na China ! Com muito boa vontade, poder-se-ia considerar "isso" apenas um pensamento.
 
Nessas condições, a internet está mudando os hábitos de leitura dos seus usuários, que, antes dela, certamente eram outros, mais saudáveis e instrutivos.
Romeu Prisco
Enviado por Romeu Prisco em 01/07/2006
Reeditado em 03/07/2006
Código do texto: T185531

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Romeu Prisco
São Paulo - São Paulo - Brasil
142 textos (31840 leituras)
9 áudios (4848 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:17)
Romeu Prisco