Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma andorinha só não faz...

Relembranças ou "Uma andorinha só,não faz Verão"

Meu marido e eu gostávamos muito de ir ao Balneário Rio de Pedras.Como ele era engenheiro civil e passava um tempo considerável em obras fora da capital,e eu,como psicóloga,atendia até às 21 horas,era na beleza de Rio de Pedras,que nos refazíamos,sempre que ele dispunha de uns dias extras...
Depois da maioridade de nosso filho,Gabriel,passamos a ser seus dependentes.Gabriel ficava no camping ou conosco e,quando adolescente,trabalhava como recreador do Recrearte-e só após os dias de tarefas,passava para nosso chalé,livre para divertir-se mais
Eduardo e eu,gostávamos de subir para o chalé após o almoço e depois de uma boa soneca,descíamos circundando a área de camping e chalés.Brincávamos com as aves,nos comprazíamos com todo o verdor das árvores e esplendor das flores,acalmávamos o coração olhando as águas.Seu aniversário sempre tinha uma segunda comemoração,nossa,pessoal,quando aparecíamos depois da data,3 de setembro.
Formávamos um casal bem sossegado.Depois do passeio,sentávamos nas cadeiras por perto das piscinas,às vezes eu participava de algumas aulas de hidroginástica,e líamos muito,revistas e livros.Depois,assistíamos a alguma programação na sala de Tv,antes ou depois de jantar.Uma sinuquinha para ele,na sala de jogos,uma caída na piscina,enfim,era nosso paraíso para relaxarmos.Forografávamos e filmávamos muito,as belezas oferecidas e a nós mesmos.
Como gostava muito de pescar,acordava cedíssimo e ia "sofrer" em águas poucos piscosas,pelo prazer de lançar o anzol,ele,afeito à grande pescados no Pantanal...Mais tarde,café tomado,eu descia para chamá-lo-e lá vinha ele,sorridente,carregando banquinho e tralha de pesca,com as botas cheias de barro...
Certa vez,estávamos lá embaixo,onde saem os pedalinhos e caiaques,quando ouvimos uma ave deseperada;era uma andorinha,pega por um gavião.Mal dissemos "coitadinha"e já um bando de outras andorinhas vieram fazendo a maior algaravia e ,bicando o predador,libertaram a assustada irmã,enquanto a ave maior,voava desapontada sem seu alimento...
Rimos muito.E eu comentei com ele:
-"Sabe aquele ditado "Uma andorinha só não faz verão?"Acabamos de vê-lo materializar-se à nossa frente.
Não fosse o bando,num espetacular "um por todos,todos por um",como a avezinha venceria seu algoz?E há outro dito popular:"A União faz a força"...
Antes desse seu aniversário de 58 anos,meu "namorido" sofreu um acidente fatal,voltando do trabalho,para casa,dia 12 de agosto passado.Foi enterrado Dia dos Pais e agora deve estar os anjinhos a pescarem...Tods as vezes que eu fecho os olhos para lembrar nossos melhores momentos,cenas do balneário me aparecem na memória...Esse abençoado recanto sempre fará parte de nossas vidas...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes




clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 01/07/2006
Reeditado em 24/09/2006
Código do texto: T185883

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176742 leituras)
21 e-livros (13423 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:13)
clevane pessoa de araújo lopes