Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fotografia

Cissa de Oliveira

Doce de se comer com os olhos, bem que eu queria mas não foi na estante da sala ou no criado mudo – lugares de efemeridades – que eu a coloquei. Escolhi entre o vislumbre e a indiscrição, e, digamos, instantes à fio me encontrar, admirando-a. Ali, quando o abajur de iluminar poesias derrama-se sobre a verdade, sua imagem vive, e é no verso que enxergo nos olhos dela que mora a música de contar as coisas que não dizemos.

Esse querer, algo que ela não pode intuir, tanto ou mais órfão que meus lábios, a tocarem a fria superfície que a retém, imutável, é o que me faz sonhar acordada. Mas “imutável” é termo que não combina com as rimas que por ela transbordam em mim.

Combinar, ela combina é com a brisa que suspeito emoldurando-lhe o gesto de espera. O que esperaria? Quem sabe, a carícia fugaz de meus dedos, ou então a de meus pensamentos, que dela nunca se desfaz.

Fotografia, que sem divisar meus olhos, combina com os sonhos que passam, devagarinho, entre o sim e o não do meu dia a dia; embora seu jeito mudo de despertar paixão não saiba disso.

Ah! Fotografia... “é bom pressentir suas razões, seja lá quais forem, rimando com os laços dos versos despertos em mim e ser presa da sua leveza, enquanto viajo ao teclado apenas para dizer, e digo: fotografia, combinar, combinar mesmo, você combinaria era com a minha, se uma, ao seu lado, eu tivesse”.
Fotografia.
Pra sempre.
Fotografia.
Cissa de Oliveira
Enviado por Cissa de Oliveira em 21/05/2005
Código do texto: T18656
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cissa de Oliveira
Campinas - São Paulo - Brasil
140 textos (28486 leituras)
10 áudios (1446 audições)
1 e-livros (908 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:37)
Cissa de Oliveira