Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O ADEUS DE NOSSA SELEÇÃO

O sonho tão almejado por todos os brasileiros foi mirrando aos poucos durante toda a Copa de 2006. Alguns nem percebiam, pois a expectativa do HEXA era tamanha, ficando no olhar de cada torcedor, mesmo na maioria das vezes só existindo na ansiedade e no olhar esperançoso dos torcedores, uma jogada espetacular dos considerados “os melhores do mundo”.  Sábado, 16 horas do dia 01 de julho de 2006, a bola começa a rolar, no meio do campo, data que ficará marcada no calendário da história mundial das confederações, especialmente, na história de nosso amado Brasil. O sonho foi fatalmente acabado pela vitória da França sobre o Brasil com um placar final de 1 x 0. O mundo todo via nos atletas de nosso País, características de profissionais gabaritados e dignos de estarem ocupando um espaço privilegiado. O nosso Brasil, verde, amarelo, azul e branco reinava, sendo visto como o país das estrelas, dos grandes atletas, temidos por muitos.  O mundo todo parava para ver a seleção dar aquele show tão esperado... mas nada! A dupla de Ronaldos, mostrou-se desnecessária, não atuou como devia. Cafu, um dos favoritos, parecia estar em um treino para uma partida de um jogo comum. Kaká, rosto definido pela juventude, sorriso envolto a um olhar de esperança, fez o seu registro. Robinho... grande Robinho, pedalava para acionar o grupo que por muito tempo corria pelo campo sem fazer nada para mudar o curso da história. Fez bonito o nosso Robinho... para mim, a maior estrela da seleção. Não haveria batalha para nossos guerreiros Juan e Lúcio que, com seus escudos bloqueavam CROATAS, AUSTRALIANOS, JAPONESES E ATÉ GANEZES... não esquecendo dos FRANCESES que, por muitas vezes deixaram a bola escapar diante de nossos heróis, zagueiros espetaculares. Vale lembrar, que por muito tempo, Lúcio permaneceu ileso superando muitos, na categoria “falta”! Dida... grande Dida, grandes defesas ele realizou, brilhou, correu, lutou, foi destaque, fez história na defesa de muitos gols... eram muitas as nossas estrelas, mas nesta copa, elas nunca se encontraram como deviam, ficaram dispersas, sem entrosamento,               entediaram-se, deixando conosco o desejo de ver formada aquela constelação esperada, a qual refletiria na grande taça da vitória.
O mundo todo parou diante do minúsculo e contagiante pingo no meio de um campo. Ela, a redondinha de referência mundial, feita por mãos desconhecidas para ser exposta aos pés de fenômenos dentro de uma partida decorrida em 90 minutos de futebol, em campo. Suas cores variadas e seu formato semelhante ao do mundo, essa pequena vem, ao longo de décadas, conquistando espaço, superando limites, deixando muitos com um sorriso alongado e outros inibidos pela derrota, em meio de campo – O Brasil!
Foram momentos inesquecíveis,  o país se mobilizava,  enfeitava-se com as  cores de nossa bandeira, fazendo valer o amor à Pátria-Mãe. Nesses momentos foi possível observar o quanto somos patrióticos. O comércio abaixava suas portas mais cedo, palcos eram montados, o Olodum,  com uma batida mais acelerada, contagiava o coração do mundo. Famílias reunidas, sorrisos contagiantes, olhos brilhavam, mãos apertavam-se em um cumprimento imbuído  do desejo de boa sorte; não tínhamos tempo para indiferenças, dedos eram cruzados, expectativas, sonhos, esperança de gols. O grito no peito ficava sufocado quando o adversário pegava pesado, deixando os torcedores tristes  diante de jogadas erradas de nossos Ronaldos... diante dos dribles maus feitos de nossos atletas.  O País parou... olhos vazavam  lágrimas... a esperança acabou...Acabou a torcida, vimos nosso País vivendo o momento da despedida... cabisbaixos... sem argumentos, talvez, fatos sem justificativas. Uma pergunta no ar: Seriam eles dignos de terem atravessado as fronteiras da América Latina para realizarem brincadeiras em terras européias?
Nossos atletas fracassaram em busca do HEXA! Vamos dar um desconto... somos PENTA, povo brasileiro! Cinco etapas já foram ultrapassadas, somos referência mundial, trilhamos por todos os continentes. Jogo é disputa, é conquista, é o ponto inicial para se ganhar ou perder. Somos brasileiros... hasteemos, juntos a nossa Bandeira, sincronizada pelas cores verde, amarelo, azul e branco e sigamos em frente... haverá outro tempo, outra história... precisamos unir forças, precisamos compreender que nem sempre teremos que ganhar. Bola pra frente, Brasil, a redondinha continua fazendo história, nosso povo, nossa gente, seguem encobertos pela Bandeira Nacional, gritando ao mundo: Somos felizes por sermos Brasileiros!... Brasileiros de cor, de raça, de religiões, de mistura de povos, de berço, de muitas nações!
Vai que é tua, Felipão, mostra a garra do Brasil, em um homem brasileiro à frente, da seleção de Portugal. Voltaram os atletas, mas permanece correndo na copa o sangue Brasileiro disputando a grande vitória final!
Portugal, nossos patrícios, que seja o terceiro, mas que deixem rolar no campo a garra do povo brasileiro, representada pelo grande Felipão.


Aos Brasileiros, o meu abraço!
Salve: 07/07/2006
Eliene César
Enviado por Eliene César em 07/07/2006
Código do texto: T189148
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Eliene César
Piripiri - Piauí - Brasil, 45 anos
29 textos (2806 leituras)
3 áudios (925 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:09)
Eliene César