Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOITES LINDAS DE LUAR

                                    NOITES LINDAS DE LUAR
                         Maria Teoro Ângelo
Conta a lenda que o Sol resolveu emprestar um pouco da sua luz para que a Lua também brilhasse. Mas o brilho dela, suave e prateado, começou a ser cantado por poetas  e encantava os românticos e apaixonados. Tal prestígio encheu de ciúmes o Sol, que  se orgulhava de ser o centro do nosso sistema. Uma acalorada discussão entre o astro e o satélite fez com que o Sol desfiasse todo o seu valor. Sem ele a Terra pereceria mergulhada em gelo,  pois é o seu calor que faz as sementes germinarem e a vida acontecer. E foi por aí humilhando a Lua, que ouvia calada e com medo de que ele  não mais permitisse que ela refletisse a sua luz. Retrucou suavemente que é ela que controla as marés, e que o Sol anda fazendo um estrago danado na pele das pessoas  com seus raios, que ele seca os rios e endurece a terra nas regiões mais castigadas do planeta.
Sem entenderem que ambos tinham o seu valor, Deus mandou que se calassem e para evitar confronto, a Lua só aparece quando o Sol já sumiu na esquina do firmamento.
E como aparece! Esta semana a luz da Lua foi tão intensa, que apagou as estrelas. Quem  pôde vê-la num lugar sem interferência de luz elétrica com certeza se maravilhou com o reflexo prateado que caía sobre nós. Seu brilho  sobre as plantas e objetos projetava uma sombra definida no chão. Juro que não perdi o espetáculo. Chegando tarde de uma viagem, saindo cedo demais para outra ou mesmo esperando acordada a hora mágica em que tudo fica mais bonito no silêncio frio da madrugada. Valeu a pena perder um tempo do sono em troca  do sonho de uma noite de luar.
No inverno as noites são mais bonitas. O tempo seco e o céu sem nuvens  tornam mais nítida a beleza do universo. Olhar a Lua e seu brilho, olhar as estrelas e a imensidão do infinito incompreensível faz bem à alma e ao coração. O Sol não tem culpa se o homem destruiu a camada de ozônio e nem a Lua  se a poluição das grandes cidades  encobre o seu fascínio.
Sobre tudo isso, acima do encanto de um dia ensolarado, acima dessas noites claras da semana que passou está a obra perfeita do Criador. A ciranda dos planetas em torno de seus sóis, com suas luas, tudo aquilo que não vemos , não entendemos, o universo como um todo e a Terra sendo vilmente destruída, não seria motivo para a humanidade tomar um outro rumo?
Se quem tem o poder de redirecionar as condutas do mundo visse e sentisse, apreciasse com sensibilidade a Lua que vi ontem, com um brilho tão intenso que competia com o Sol, talvez pensasse que os homens estão fazendo tal qual a lenda. Brigam entre si porque cada um quer ser o mais importante,  invejam o brilho uns dos outros e discutem e guerreiam por motivos pequenos demais diante da grandeza que todos os dias nos é apresentada. Um Sol nascendo para um novo dia , a Lua clareando as trevas  e quem sabe os dois iluminando algum coração  sofrido!
Julho de 2006

Lillyangel
Enviado por Lillyangel em 12/07/2006
Código do texto: T192356
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lillyangel
Ituverava - São Paulo - Brasil
85 textos (8404 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:13)
Lillyangel