Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A luzes não se entendem mais


Se nem as luzes se entendem, que dizer de nós espíritos viventes? Espalhamos tanta dor e sofrimento, tanta alegria e alento.

Existe coisa mais doida, mais louca do que isso? Nas horas vagas do dia me perco em pensamentos de como poderia ser o mundo se a gente não fosse assim tão, tão contemplativo diante da vida que flui incansável.

Nada fazemos para mudar a situação em que vivemos? Nosso mundo jaz no vazio? Para onde essa vida vai nos levar?

Perguntas que a gente se faz, respostas a se buscar.

As luzes não se entendem, os homens não se compreendem. Arraigados os seus mais nobres sentimentos se submergem nas águas das vaidades, das vontades de destruir e da ânsia eterna de ter e mais ter, e só ter, sem viver.

Quando vejo que nem as luzes se entendem mais, sinto-me carregada pela culpa. Culpa de ser o que sou. Sou um caquinho do nada que se fez e tornou gente. E acha que tem lugar para morar entre as almas puras de ternura e límpidas do pecado que atormenta o coração de mim mesma.

Um lugar que é recanto de paz e doçura para inspiração da alma, já cansada de trilhas de dores caminhar.
Maria
Enviado por Maria em 12/07/2006
Código do texto: T192406
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4549 textos (185887 leituras)
1 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 22:34)
Maria

Site do Escritor