Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SONHOS: TRANQUEI NO ARMÁRIO


“¿Son los sueños realidad o sueños?
¿Es la realidad verdad o un sueño?
¿Qué hay de malo en perseguir los sueños?
¿Qué hay de malo en soñar despierto?
(Realidad o sueños, Jarabe de Palo)” 


                   
 Os versos aí em cima saìram de uma música de Jarabe de Palo, espanhol que só há pouco tempo (lamentavelmente) tornou-se um pouco mais conhecido no Brasil, o que é mesmo uma pena, já que o moço, além de belíssimos olhos tem uma enorme sensibilidade poética e musical. Pelo menos, para o meu gosto, está de excelente tamanho. A música mencionada é linda, mas me deixou um tantinho pensante a mais do que o normal. A realidade é verdade ou sonho? Estou tentando responder a dita pergunta.
 
                    Sinceramente, tem horas que o irreal parece fazer mais sentido do que o real e o real está mais para loucura, desvario generalizado. Sempre disse que nao sonho, nao gosto de sonhar, nao tenho sonhos e sim, projetos; estes últimos, por terem pelo menos a chance de virar realidade. Os sonhos, na maioria das vezes, nao passam de delírios que criamos para tornar a realidade menos pesada e um tico mais colorida. 

                    Do ponto de vista racional, faz todo o sentido do mundo. Ocorre que a gente nao é racional o tempo todo e quando menos espera, resvala para os sonhos. Permite-se achar que pode, faz e acontece. Que vira o mundo do avesso e quem nao gostar dos nossos sonhos, que se dane. Que vai ser assim ou assado, frito e ensopado, colorido do jeitinho que nos demos ao luxo de sonhar. Principalmente quando temos uma alma meio poética.
 
                    Nao, realmente, meu querido amigo dono da música, nao há nada de mal em sonhar acordado. Nenhum problema em perseguir os sonhos. Desde que nossos sonhos nao estejam incluindo segundos e terceiros. Nem sempre os sonhos dos outros coincidem com os nossos. E a gente fica meio inadequado no sonho alheio. Nem sempre os nossos sonhos cabem nos sonhos de outro. Nem sempre cabem, nem mesmo, nos nossos. Mas a gente sonha assim mesmo. 

                    Andei achando que poderia sonhar. Para o bem ou para o mal, tenho dois pés excessivamente cravados na vida real: contas a pagar, filho pra criar, uma casa para morar e por aí vai. E ainda que eu nao goste, a realidade é o que está na minha cara, nas minhas maos, nos meus dias e nas minhas noites insones ou chapadas por remedinhos pra dormir. 

                    Nao, meu amigo, a realidade nao é um sonho. Ela tem números, tem impostos a pagar, contas a prestar, obrigaçoes a cumprir. Achei que daria para sonhar, mas diante de tanta realidade , diante de tantos sonhos meus que nao cabem nos de outros, de outros que nao cabem nos meus, decretei falência no quesito “Sonhar Acordada”. E de preferência, nem dormindo. Que venha a realidade que com esta eu me entendo. Essa coisa de sonho cansa muito. Deixo o sonho trancado no armário. 


PS.: CONTINUO NAO ACHANDO O TIL DESTE BENDITO TECLADO...
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 27/07/2006
Código do texto: T203155

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154020 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:19)
Débora Denadai