Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Falsos Senhores do Tempo

Mudando a folha do calendário até assustei, nossa já estamos no mês 08!
Como passa rápido!

O tempo é algo impressionante, em apenas alguns segundos tudo pode mudar, uma vida se vai, outra surge, algo bombástico pode acontecer ou se revelar.
O tempo está assimilado em nossa vida, tudo está associado a ele, nossas atividades estão ligadas, programadas, mas...

Pobres tolos... Achamos que está tudo sobre controle, que temos certeza sobre nossas vidas, agendamos compromissos, nos programamos, como se fossemos “donos” de nossas vidas, se controlássemos nosso tempo. Compromissos são marcados, mas como podemos ter certeza que serão cumpridos? Não temos... Neste mundo caótico não temos certeza de nada.

Olhando minha agenda, tanta coisa que devia ter feito, mas graças a imprevistos muitos compromissos não foram cumpridos. Por pequenas coisas como falta de energia, um resfriado, um pneu que fura, uma simples ligação muda tudo.

Então vi como uma agenda é “simbólica”; nos faz sentir donos de nós mesmos, Falsos senhores do tempo, essa sensação de controle é totalmente superficial.

Isso fora o impacto ambiental que causamos quando compramos uma agenda, não para nós mesmos, pra dar de presente; eu nunca tive uma agenda que gostasse, todas foram ganhadas, também já presenteei muita gente com agendas, mas se for ver bem mesmo é um presente tolo, desnecessário, até então eu usava muito, acho que vou parar, é perda de tempo mesmo. Talvez o amanhã nem exista...

Devo ter uma dúzia delas que nunca usei, e nem vou usar, tanto papel desperdiçado, sim derrubaram árvores, colocaram em uma brochura legal, pra ficar guardada sem utilidade, e as que são utilizadas é mera superficialidade.

Quando estiver aproximando o fim de ano já vou deixar bem claro aos colegas que não quero agenda e nem cartãozinho brilhante, prefiro uma bala. É consumida em alguns minutos, não causou um grande impacto na natureza, e o papelzinho vai pro lixo reciclável.

E nada daquelas bajulações fingidas: “tenha um feliz ano novo, saúde, paz, e bla..bla...bla. Mas no fundo querem te ver pelas costas. Também darei balas de presente, é mais simples e bem mais barato.

Mas e os compromissos, é tanta coisa que corre o risco de esquecer algo, sim! Mas quem disse que o celular é apenas pra se comunicar, com a tecnologia de hoje podemos até ver o clip favorito na pequena telinha de LCD.

Celulares tem agendas eletrônicas, já é quase padrão. E se não se acostumar com o teclado minúsculo do aparelho, ainda temos a massa cinzenta. Oras, cabeça não é só pra enfeitar, devemos usá-la.

Seria bom me desprender um pouco de tudo, ficar amarrado a datas, horários, deveria ser mais livre... Aliás vou ser, farei apenas o que quiser, quando me der na telha.

A cada estágio na vida devemos nos perguntar:

“Posso me dar a esse luxo”?
Chaos Theory
Enviado por Chaos Theory em 02/08/2006
Código do texto: T207611

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chaos Theory
Itajubá - Minas Gerais - Brasil, 30 anos
78 textos (11378 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 03:56)
Chaos Theory