Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONCRETA INFÂNCIA, AGORA ABSTRATA

NA INFÂNCIA, ACORDAVA-ME, COM OS PASSARINHOS...SENTAVA-ME SOBRE A SOLEIRA DA PORTA, A OBSERVAR O NASCIMENTO DA MANHÃ. A NÉVOA DEIXAVA A CIDADE INVISÍVEL E O BEM-TE-VI COM O SEU CANTAR INESQUECÍVEL, POUSAVA SOBRE A ÁRVORE AINDA ADORMECIDA. ALGUNS PASSOS QUEBRANTAVAM O SOSSÊGO E O ZÉ PRETINHO, EM SEU BURRICO, DISTRIBUIA O LEITE NA VIZINHANÇA, ENQUANTO A NÉVOA TRANSPARECIA A SUA INVISIBILIDADE. EU, CONTEMPLAVA A CHEGADA DO SOL, DEPOIS DA AURORA PRENUNCIÁ-LO. E A MANHÃ DESPERTAVA MACIÇA, COMO UMA PINTURA BONITA, QUE NENHUM DINHEIRO ERA CAPAZ DE COMPRÁ-LA.
AQUELA BELEZA HIPNOTIZAVA-ME, QUE NEM A VONTADE DO DESJEJUM ME INCOMODAVA. ERA O CAFÉ DA VOVÓ, GOSTOSO, COM O SEU AROMA, ANUNCIANDO-ME QUE ERA HORA DE DEGUSTÁ-LO. PLANTEI-ME NAQUELA SOLEIRA, OLHANDO O VÔO DOS PÁSSAROS, DEIXANDO-ME A LEVEZA DA ALMA.
A MINHA CONCRETA INFÂNCIA PERDEU-SE NO PASSADO, MAIS AGORA ABSORVO A MINHA INFÂNCIA ABSTRATA, EM MINHA CAIXINHA DE SAUDADE!



07/08/06     TEREZA NEUMANN
Tereza Neumann
Enviado por Tereza Neumann em 08/08/2006
Reeditado em 31/08/2006
Código do texto: T212130

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Tereza Neumann). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tereza Neumann
Salvador - Bahia - Brasil, 62 anos
330 textos (15754 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:26)
Tereza Neumann