Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

               O Golpe de Estado num Regime Democrático 

     O regime político onde os cidadãos através do voto traçam os destinos da nação e que, tempo em tempo pode-se haver alternância de poder e estar sempre num processo evolutivo da sociedade é sem duvida o sonho de todos os povos e nações, esta é a verdadeira democracia. 

     Existe varias formas de ditadura, ou melhor, de grupos permanecerem perpetuando no poder. Uma delas é pela força, pelo autoritarismo, pela imposição de medidas antidemocráticas visíveis, outra forma é usar da democracia, usar do direito constitucional do eleitor o voto para se instalar e perpetuar-se no poder de maneira indireta. 

     Quanto maior pobreza; quanto mais políticos sem escrúpulos governando o país; quanto mais a sociedade é despolitizada maior é esta segunda forma de permanência no poder. 

     Para quem tem fome não se precisa dar carne de primeira, se dá apenas um prato de comida e um ovo, isto é, o suficiente para encher o estomago. Aquele que fazer esta caridade ganhará deste miserável muitos créditos, respeito, mesmo que este gesto seja de compra futura. 

     Quanto mais ignorante politicamente, maior a possibilidade de ser auto-manipulado, pois certamente as pessoas trocam os votos por pequenos favores, por palavras fáceis e também podem ser manipulados pelos coronéis modernos. Quem não tem consciência do voto se vende por um abraço, por uma cesta básica, por qualquer coisa. 

     Outra forma que proporciona a perpetuação de grupos políticos no poder é quando o país é extremamente pobre e regido por um regime democrático, pois, soma-se a pobreza, fome e a ignorância tudo contribui para que os eleitores sejam usados, manipulados dando ao grupo que está no poder a legitimidade para continuar a governar perpetuando-se nele. 

     Um Estado extremamente grande é outro fator interessante para que determinados grupos se perpetualizarem também, algo que agora começo a refletir melhor. Quando determinados partidos políticos brigavam e não aceitavam as vendas de certas estatais, atrás das palavras socialistas estavam as verdadeiras intenções. Quanto maior o Estado, mais facilita para que se construa um projeto de poder e o loteamento do Estado. 

     Mesmo que a sociedade tenha a consciência que é fundamental algumas empresas serem estatal para dar garantias a toda sociedade usufrir determinados serviços essenciais, vemos que a privatização não impede de que nas regras de vendas tais direitos se mantenham garantidos a custa da empresa privada perder a concessão. Porém hoje fica claro o porquê alguns partidos relutaram nestas vendas. 

     Sabemos que atualmente imaginar um regime ditatorial regimental se torna impossível, principalmente de paises em desenvolvimento. De certa forma o mundo moderno, a globalização, a tecnologia impede tais situações. O país que hoje tenta implantar este regime entra em conflito contra a história da humanidade e se isola. 

     Mas o desejo, o impulso humano não permite a transição, a alternância do poder e assim, usa dos mais variados meios e mecanismos para que mesmo através de leis autoritárias, isto é, de golpes constitucionais indiretos ou mesmo de por meio de grandes atuações nos bastidores usarem o próprio regime democrático para esta perpetuação e quando nada disto é suficiente então se aplica o golpe de estado como ultimo recurso.
Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 09/08/2006
Reeditado em 09/08/2006
Código do texto: T212666
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ataíde Lemos
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
5266 textos (1219140 leituras)
5 e-livros (11756 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 12:22)
Ataíde Lemos

Site do Escritor