Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um SER bem sucedido

Um Ser bem sucedido
Celito Medeiros


As condições de sucesso são poucas e facilmente descritas. Os empregos não são mantidos consistente e verdadeiramente por golpes do destino ou da sorte. Os que dependem da sorte, geralmente tem azar.
A maneira de conservar um emprego depende principalmente de capacidade. É preciso sermos capazes de controlar nosso trabalho e capazes de sermos controlados.
Precisamos, também, ser capazes de deixar não controladas certas áreas que outros o farão. Nossa inteligência está diretamente relacionada com nossa capacidade.
Não há tal coisa como ser “esperto demais”, mas existe algo, que é agir com “excessiva estupidez”.
Pode-se, no entanto, ser não só capaz, como inteligente, sem ter no entanto qualquer sucesso. Uma parte vital do sucesso é a capacidade de manejar e controlar, não apenas os instrumentos de trabalho, mas também pessoas por quem somos rodeados.
Para isto, precisa-se ser capaz de um nível muito alto de afinidade, de tolerar realidades maciças e, também de dar e receber boa comunicação.
Os ingredientes do sucesso são, então: capacidade de fazer o trabalho com alegria e não com horror; o desejo de fazer o trabalho  em si, não porque se tem que “ganhar dinheiro”  ( isto será  conseqüência ) ; precisamos ser capazes de trabalhar sem nos arrastarmos ou experimentar as profundezas da estafa.
Se um indivíduo experimentar estas coisas, há algo errado com ele. Não deveria se cansar no trabalho. Há algum elemento em seu meio ambiente que ele deveria controlar, mas não está controlando, ou o acúmulo de seus
ferimentos é tal que o faz afastar-se de todo mundo e das coisas com que deveria estar em contato íntimo e com prazer.
Os ingredientes do trabalho bem sucedido são: instrução e experiência  no assunto que está sendo tratado, atos seguros, boa inteligência, em geral, e capacidade de lidar; alta afinidade, tolerância de realidade e capacidade de comunicar e receber idéias.
Dadas estas coisas, resta apenas uma pequeníssima probabilidade de fracasso. E, dadas estas coisas, um homem pode ignorar todos os acidentes de percurso, casamento ou sorte, pois estes não podem colocar os elementos necessários em nossas mãos.
Pode-se ter todo o dinheiro do mundo e, no entanto, ser incapaz de desempenhar uma hora de trabalho honesto. Tal pessoa seria profundamente infeliz.
Geralmente a pessoa que evita trabalho, de modo deliberado, trabalha mais tempo e de maneira mais árdua do que quem prazerosamente o faz. Os homens que não podem trabalhar não são felizes. O trabalho é um dado estável (necessário) nesta sociedade.
Sem algo para fazer, não existe razão para viver. Quem não pode trabalhar    ( com raríssimas exceções) vale tanto quanto um morto; usualmente, prefere a morte e faz tudo para consegui-la.
Os mistérios da vida não são hoje misteriosos. Mistério não é um ingrediente indispensável.
Só os indivíduos muito aberrados (com problemas) desejam ter vastos segredos mantidos longe de si. Não querem saber certas verdades. A vida derrubou muitas complexidades criadas para os homens e põe a descoberto o âmago ( a razão ) desses problemas.
Pela primeira vez na história da humanidade, pode-se elevar a inteligência do homem, de maneira previsível.
Aumentar a capacidade, reabilitar a capacidade de realizar coisas e permitir ao homem escapar do redemoinho descendente de suas próprias incapacidades.
Portanto, o trabalho em si pode tornar-se um jogo, uma coisa agradável e feliz.
Há algo apreendido que é muito importante para o estado de espírito do trabalhador. Este, freqüentemente, sente no meio em que vive, que está trabalhando para merecer o salário do mês e que não representa nada de importância para a sociedade. Ele desconhece muitas coisas.
Uma delas é como são poucos os bons trabalhadores. No nível de executivos, é interessante notar como uma grande Companhia acha realmente precioso o indivíduo que pode tratar e controlar serviços e homens.
Tais pessoas são raras.
É nas posições do topo da estrutura deste mundo cotidiano de trabalho que reside todo o espaço vazio.
Há outra coisa que é muito importante. É o fato de que o mundo de hoje foi levado, por meio de certas filosofias mentais planejadas para traí-lo, a acreditar que ao morrer está tudo acabado e não se tem mais responsabilidades por coisa alguma. Que engano !
É altamente duvidoso que isto seja verdade. Herda-se amanhã aquilo de que se morreu ontem.
Outra coisa que sabemos é que os homens não são dispensáveis. Um mecanismo de velhas filosofias diz-nos que, se pensamos ser indispensáveis, deveríamos ir a um cemitério e dar uma olhada.
Esses homens também foram indispensáveis. Esta é a mais pura tolice.
Se você realmente olhar com cuidado o cemitério, encontrará pessoas muito importantes, sem as quais grandes descobertas não nos estariam ajudando hoje. Ou ,
até pequenas coisas que nos são importantes  e foram conseguidas por alguém.
Um trabalhador não é só um trabalhador.
Um empregado de escritório não é apenas e somente um empregado de escritório. São todos importantes pilares, que vivem e respiram, sobre os quais é erigida (construída) a estrutura inteira de nossa civilização.
Não são dentes de engrenagem de uma poderosa máquina.  São a própria máquina!

www.escritor.art.br
Celito Medeiros
Enviado por Celito Medeiros em 03/06/2005
Código do texto: T21711
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Celito Medeiros
Curitiba - Paraná - Brasil, 65 anos
21 textos (10512 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 18:34)
Celito Medeiros