Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Talento é múltiplo até no significado lingüístico. Na antiguidade grega e romana tem sentido de valor, refere-se à moeda, a quantidade de talentos representa, neste caso, soma monetária. 
Se pensarmos no talento como forma genuína ou adquirida, vemos que é atributo de algo excepcional, seja numa habilidade, no potencial  cognitivo ou no desenvolvimento de uma aptidão. 
Dependendo da cultura, tem efeito de força física, pulso, vigor, a exemplo do sertão brasileiro. Seja lá em que época for, do ancestral ao contemporâneo, numa definição de linguagem, signo ou atitude, invariavelmente, o talento é o melhor que temos em nós mesmos.
Mas vamos tratar aqui da multiplicidade de talentos, que pode ou não, estar associado a uma profissão, e neste caso, o talento primeiro, consiste em conjugar a vocação ao exercício do trabalho, raro, se for considerado sob o ponto de vista da sobrevivência e da inclusão mercadológica.
Talento, está intimamente ligado ao prazer e a produtividade, que advém da habilidade, isto, quando é possível, fazer o exercício da própria vida, girar em torno das escolhas e especialidades.
Seja lá como for, exercê-lo, é dádiva, uma vez que por questões de possibilidades e oportunidades, nem sempre nos cabe realizar, com base na veia talentosa que carregamos conosco, até porque, muitos, ainda não puderam fazer do seu talento, uma chance de expansão, sequer, aventuram-se em descobrir - se talentosos, nesta ou naquela atividade. Ou são tragados pelo zero à fome, alienam-se, ou são robôs de um sistema que os devora.
Existem ideais para nossos talentos?
Existem talentos para nossos ideais?
Claro que sim, é busca, é conquista, é troca, é soma, é coletividade, é produto.
Embora seja o talento, individual, é preciso uma corrente entrelaçada quando a visibilidade é o resultado. Talento é manifesto de um conjunto, de uma equipe, impossível acontecer no isolamento em qualquer área, a menos que não seja intencional sua ampliação.
Analisemos nas artes, na cultura, na economia, educação, saúde, comércio, política, arquitetura, engenharia, na produção em qualquer nível, até mesmo na administração doméstica...há talento sem idéia? Claro que não, o talento vem sempre acompanhando de uma grande e invisível lâmpada, que ilumina o que precisa ser feito, muitas vezes até refeito, porque não há talento sem organização, meta ou planejamento. 
É verdade, o mesmo talento que faz você voar e transcender, devolve a responsabilidade imensa de fazer bem feito. Se assim não fosse, todas as idéias, dariam certo, uma vez que o potencial criativo é inerente à inteligência humana. 
Mas, que nada, uma boa idéia, sem talento, sucumbe, é oposta à preciosidade do tempo que não pára, é perda.
O talento deve ser o medidor da eficiência em qualquer ação, a favor de qualquer causa, no alcance de qualquer objetivo. Da mesma forma, deve ser o mediador e o ícone principal no organograma de todo sistema empresarial.
Pena que encontramos muito, e ainda, talentos como sinônimos de egos exacerbados, entretanto, deveria ser o extremo oposto, quanto mais talento genuíno ou adquirido, mais simplicidade e agilidade para que as ações se operacionalizem.
Em resumo, talento, não pode preceder à vaidade, mas à genialidade, de fazer acontecer o que é preciso. Quando empregado a um contexto integrado, o resultado, é explosão e êxtase da realização, que prima pelo aperfeiçoamento.
A propósito, o que tem feito com seu talento, como o pratica, como o administra, como o partilha, sobretudo, que investimento tem feito no talento que faz de você, alguém exclusivo no espaço que ocupa?
Trata-se, portanto, de um processo de dentro para fora, é conceito, não é amadorismo, é resolução, modificação, não é experimental, é naturalmente profissional, é precisão daquilo que é perfeito. 
Não há conquista de direitos, se os deveres não forem frutos das bases solidificadas pelo talento.
Brindemos, então, a uma comunhão talentosa, estejamos, pois, preparados, para ser e fazer a diferença.

Márcia Beatriz Prema
Enviado por Márcia Beatriz Prema em 16/08/2006
Reeditado em 22/08/2006
Código do texto: T218268

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Márcia Beatriz Prema
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
83 textos (11202 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:27)
Márcia Beatriz Prema