Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"O Diário do Sol"

27/08/2006 10h59
O Diário do Sol




Eu estava de volta a Juiz de Fora,em 1964.Fizera dezessete anos em julho.Completava o curso de normalista no Colégio dos Santos Anjos, pois papai fora transferido em agosto...Acabara de assistir , no palco, a peça "O Diário do Sol",baseada em livro do mesmo nome, de Regina Paleta Hargreaves.Uma das freiras, professora responsável,pediu-me que levasse "o anúncio do acontecido" à autora.Eu era tímida, mas nunca fui de dizer não à Vida.
Um tanto curiosa, um tanto tensa, afinal, ia conhecer ao vivo, uma escritora.
O livro, infelizmente não muito conhecido (os autores de Minas Gerais não têm grande apoio editorial, divulgação necessária, etc ,geralmente precisam ter a obra editada fora,para serem reconhecidos:basta um olhar para os renomados) , tem o valor de um Pequeno Príncipe,de Antoine de Saint Exupèry, sem exagero, alegórico, destinado a todas as idades, por levar a ponderações,ser interessante e bem escrito.
O endereço que me deram era no o Bom Pastor, um bairro nobre.Eu morava do outro lado,conhecia pouco a cidade, onde chegara e completara sete anos, saíra aos doze para morar em Bicas do meio, hoje Wenceslau Brás (estudava no Sagrado Coração de Jesus em Itajubá, viajava todos os dias para tal),mas fui.
Convidada por uma serviçal que falava quase sussurrando,a entrar, sentei e esperei em uma poltrona que me indicou...Sentía-me em um sacrário...O silêncio era pleno.Houve uma demora densa.Eu corria os olhos pela sala,mal ousava respirar, me mexer.

Súbito, um pequeno movimento no ar,indicou-me que alguém entrava.Abri o sorriso e, a seguir,os olhos.A empregada,no seu avental muito branco, trazia no colo uma criança.Esta alargou um sorriso caloroso e doce e então vi que não era uma criança, mas uma pequena mulher rosada , com busto e feições definidas,clara,simpática.
Conversamos muito tempo e ela ficou muito feliz porque O Diário do Sol tinha sido "relido", em linguagem teatral , por tantas alunas e compreendido pela professora, a irmã de caridade,da congregação da providência, de raízes francesas.Eu ainda não trabalhava em jornal,por isso, não ousei anotar nossa conversa . Nem confessar-lhe que não possuía um exemplar.Apenas, ouvia um anjo falar comigo.
Não sei se vítima da Talidomida-droga que as gestantes tomavam ,anti-emética,para combater os terríveis enjôos da gravidez - o que não era incomum à época : pessoas nasciam com os membros superiores e/ou inferiores curtos, atrofiados ou incompletos, se portadora de alguma síndrome outra, o certo que é era uma pessoa em miniatura, mas com o tronco de tamanho normal , perfeito , com as mamas femininas e o rosto bonito.Mas não andava.Culta , conversava bem, empática e atenta...

Muitos anos depois , encontrei num sebo, em Natal, no Bairro do Alecrim , onde há barracas de livros "usados" , inexplicavelmente , um exemplar desse livro da mineira escritora Regina Paleta Hargreaves.De quem não soube mais nada.No turbilhãode minha vidade repórter,sempre ensaiei voltar à casa dela,mas perdera o endereço, as referências.Depois, casei-me e fui morar em Vila Isabel, no Rio.Nas segundas núpcias, andei pelo Norte e Nordeste e somente voltei a Minas em 1990, mas para morar em Belo Horizonte.Não sei se ela é parente do Henrique Hargreaves político, assessor de Itamar Franco à época do Governo em Minas.E mais não sei do livro, que emprestei a uma púbere e ela, ao voltar para S.Paulo, não me devolveu.

Mas hoje, acordei com a sensação de que estive com ela,talvez em desdobramento espiritual, talvez em sonho,em viagem astral,pedindo para ser lembrada.
Vejo seu rosto angelical claramante e ouço-lhe a voz suave.Talvez algum leitor de Juiz de Fora, possa mandar-me alguma notícia dela ou da história,"O Diário do Sol",que título sugestivo ! Talvez alguém possa ceder-me ou emprestar-me o livro, para que eu faça uma resenha.Confesso que vejo uma praça e um príncipe, uma estátua, o sol,enfocados na peça.Mas quase não recordo a obra em si.

Sinto que a autora não quer que esqueçam seu livro.Merecia uma reedição...

Clevane Pessoa de Araújo Lopes

Rua dos Assistentes Sociais, 244, Belo Horizonte, MG, CEP 30840-080
Tel 3471 1646
E-mail:clevane@yahoo.com.br


Publicado por clevane pessoa de araújo em 27/08/2006 às 10h59
http://www.clevanepessoa.net/blog.php

Seja o primeiro a comentar
Indique esta leitura para amigos

Copyright© 2005 by ClevanePessoa. Todos os direitos reservados.Criado e hospedado por Recanto das LetrasPágina atualizada em 27.08.06 11:39
clevane pessoa de araújo lopes
Enviado por clevane pessoa de araújo lopes em 27/08/2006
Reeditado em 07/11/2006
Código do texto: T226387

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autor e o link para o site "www.sitedoautor.net(Clevane pessoa de araújo lopes;(www.clevanepessoa.net/blog.php)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
clevane pessoa de araújo lopes
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
555 textos (176709 leituras)
21 e-livros (13423 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:50)
clevane pessoa de araújo lopes