Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


A BURRICE DA INTELIGÊNCIA

     Estamos prontos para pular para fora de mais um útero! Certos de que vamos reclamar, saltamos e cá estamos. Nossa primeira roupa é de tecido industrializado; nosso primeiro leite, saído dos seios um pouco acima do útero em que estávamos, é cheio de conservantes oriundos da alimentação de nosso primeiro mundo: nossa mãe. E os conservantes são fabricados pelo nosso outro primeiro mundo: Tio Sam & Cia. Nossa primeira chupeta, que é na verdade nosso primeiro vício, induzido por aqueles que brevemente nos querem longe dos vícios, é feita com o mais puro látex resultado do mais covarde roubo de árvores e terras indígenas. Mas nossa chupeta é um vício que traz tranqüilidade para os pais, por isso é legítimo, ao passo que os vícios que trazem tranqüilidade só para nós, são proibidos.

     Um dos primeiros desrespeitos que sofremos (que é também uma das primeiras mentiras que nos empurram) é um decrépito velho branco capitalista e estrangeiro chamado papai Noel que não é nosso pai e que está em vários lugares ao mesmo tempo, às vezes em várias lojas no mesmo shopping. E ele é também o primeiro adulto que não é nosso pai, e não precisamos chamar de "tio". Depois crescemos e nos ensinam Lógica!!!!!!! 

     Mas tudo bem! Crescemos... E é isso que importa... Encheram-nos de mentiras, de roubos, covardias, idolatrias, deuses, diabos, cegonhas e coca-cola. Todavia não é só isso. Recebemos, em compensação,  dois prêmios: o livre arbítrio e o diploma. Meu deus! É muita onda: somos livres e inteligentes! O que mais queremos exigir? 
     
     Olhem só como são úteis o livre arbítrio e o diploma: com o primeiro percebemos que todas as conseqüências nefastas daquelas mentiras em nossa vida são de nossa inteira responsabilidade, uma vez que somos livres para escolher entre os vários caminhos construídos por elas. Com o segundo tornamo-nos inteligentes e bem sucedidos, demonstramos bom uso do primeiro prêmio e ganhamos a oportunidade de ser mantenedores e continuadores do mentirol!

     Dizemos que é preciso pensar e raciocinar sobre o mundo ao mesmo tempo em que destruímos o mundo. Com esses dois prêmios, a liberdade e a inteligência, somos responsáveis e evoluídos: Ordem e progresso!!  Ensinamos a tolice; comprovamos a falácia; somos livres para irmos aonde quisermos, desde que seja com o livre arbítrio em uma mão, o diploma na outra e o cu que não passa uma agulha! Aí descobrimos que juntamente com os prêmios, recebemos um bônus: o medo! 

     Vivemos em plena era da liberdade e da inteligência num mundo cheio de presídios e manicômios. Temos liberdade e diplomas em uma terra cheia de fronteiras, passaportes, alerta laranja, guerras e analfabetos famintos. Numa terra em que pouco importa se você é inocente. Mas o que se há de fazer se alguns fazem mau uso da sua liberdade e da sua inteligência? Quem não é inteligente não soube ser livre e quem não soube ser livre não é inteligente. De qualquer forma a culpa é sua! O hospital não tem culpa de nada, a família não tem culpa de nada, e escola não tem culpa de nada, Deus não tem culpa de nada! Se você não conseguiu ser merda nenhuma: VOCÊ É UM MEEEERDA! Se você é um merda: VOCÊ NÃO VAI SER MERDA NENHUMA! Estamos no círculo da merda. E a culpa é toda nossa. Quem mandou ser livre e inteligente? 

     Estamos vivendo na era da BURRICE DA INTELIGÊNCIA! Onde os inteligentes só fazem emburrecer os outros! E se há algum indício de justiça neles é o mérito da própria destruição, da própria anulação, pois é a nossa própria cegueira que nos arrancará os olhos, deixando, de nossa ignomínia, apenas um pequeno rastro de rodas de carro de boi e um amargo cheiro de pólvora no ar.
Iguaçu
Enviado por Iguaçu em 01/09/2006
Reeditado em 23/08/2012
Código do texto: T229975
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Iguaçu
Nova Iguaçu - Rio de Janeiro - Brasil
118 textos (9999 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:11)