Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Firma reconhecida

Montanhas de papéis;averbações,CPFs,autenticações,certidão negativa,Formal de partilha,e nós perguntamos, até quando?
A sentença do Juiz que saiu depois de dez anos,e o advogado que entrou com recurso,e o juiz que arquivou o processo,e o advogado que  pede para desarquivar,e já se foram treze anos...
O dinheiro que nós não vimos, da causa ganha, algum juiz bobeou...processos  acumulados sobre a mesa, o advogado bobeou,e a nossa vida seguindo...
Em meio a tudo isso um testamento lacrado,de um defunto que não acho o dono...herdeiros que ficam à deriva,nenhum Juiz quis colocar a mão no testamento...eu joguei para cima e fiz um trato com o falecido:-"me isente de culpa,tentei achar sua família"...
Nunca imaginamos tanta complicação!
Se um documento some a vida se complica,vira o caos,mas    tentamos ficar Zen,confiar nos cartórios que prendem documentos que mudam nossas vidas.
Viver o hoje e não simular problemas,basta o que já temos...
Na vitrola, é vitrola mesmo...rss toca os "Cantores de Ébano",com aquele vozerão eles cantam "O Uirapuru",e a bolacha de vinil gira e com ele os meus pensamentos dando voltas em rotação 33.Vejo a cena e choro,lágrimas rolam em meu rosto,já se passaram treze anos e não conseguimos fazer valer nosso direito  de receber o dinheiro por uma causa ganha na justiça.
Os trapaceiros venceram,para não dizer ladrões...nos sentimos idiotas,e ainda temos que tirar certidões,autenticações,pagar taxas caríssimas,para assegurar o direito de propriedade,e os ladrões à solta,com seus milhões nos Bancos estrangeiros,e nós aqui contando os tostões;pelo menos de cabeça erguida!
É triste viver em um país onde as leis existem para serem manipuladas, as famosas "brechas da lei"...mas deixa estar,hoje é sábado e vou lá para o quintal, na chuva, concertar o giral da parreira, que toda em brotos se prepara para mais uma safra de uvas rosadas e doces.
Nada como sujar as mãos com a terra para me sentir viva.
Verei novamente os pássaros fazendo festa e se deliciando com o fruto doce,cantando em harmonia com a  natureza.
Eu não sou daqui...
Eu sou das estrelas,
Minha passagem é breve, e  hoje vou viver feliz.
Só por hoje,tal qual o lema do A.A...só por hoje!
Quem sabe amanhã,onde estarei?
Reconhecendo a Firma da minha existência,é provável.
Ouvindo o canto da siriema,ou o rouxinol que habita meus sonhos,quem sabe os pardais façam a sua algazarra,eles sim meu mundo real.
Só por hoje, eu sou feliz!
Syl Signoretti
Enviado por Syl Signoretti em 02/09/2006
Reeditado em 02/09/2006
Código do texto: T230944

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Syl Signoretti
Itajubá - Minas Gerais - Brasil
933 textos (89325 leituras)
76 áudios (9216 audições)
1 e-livros (309 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:47)
Syl Signoretti