Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Singela e breve história da cueca.

Olá meus queridos e fiéis leitores, vira e mexe ela está na mídia, seja cheia de dinheiro (moda muito difundida lá em Brasília), seja rendendo dinheiro na Internet, seja na polêmica que ela gera entre Rappers e Esqueitistas e as autoridades. Ela é a nossa humilde cueca.
Essa peça de roupa tão versátil que a maioria dos homens e algumas mulheres usa.
Há algumas versões de como ela surgiu mas, eu vou contar a minha. Bem a primeira cueca do mundo é segundo a Bíblia invenção de Adão que depois de comer do fruto da árvore do conhecimento se viu nú e tratou de cobrir sua "vergonha" com uma folha de parreira, que foi a primeira cueca orgânica e 100% biodegradável.
Mas segundo os naturalistas a cueca foi inventada pelos homens pré-históricos, se bem que eu tenho as minhas dúvidas de que quem inventou foram as mulheres, se dependesse dos homens a gente andava pelado até hoje.
E essa peça de vestimenta passou pelos anos afora sem um nome específico era chamada de roupa intima, até que o grande matemático, físico, geômetra e inventor grego Arquimedes inventou sem querer no século III AC. o termo cueca. Eu digo sem querer porque o grego saiu correndo pelas ruas não pelado como diz a lenda mas, usando sua roupa intima e gritando Eureka! Eureka! (Achei! Achei!), e um velhinho meio surdo perguntou ao seu colega também meio surdo o que o Arquimedes estava falando. E o velhinho lhe respondeu: - "Ele disse que está de cueca."
E desde este dia a roupa intima ficou sendo conhecida como cueca.
Na idade média o armeiro de um poderoso rei inventou as cuecas de aço para combinar com as armaduras, mas de a vários acidentes elas foram abolidas. E a história segue e a nossa cueca vai se transformando, era feita de lã em países mais frios, era feita de renda e seda na França, era feita de pele de leopardo na África.
Mas a verdade é que essa peça segue o homem do berço ao túmulo, que homem não se lembra das cuequinhas que usou quando era criança, tinha as cuecas do Super-homem, do Batman, do Homem-aranha...
E das que usou depois de grande, lógico, tinha a Zorba feita de tecido sintético com a famosa porta Cuco, que é pro passarinho sair sem ter que tirar a cueca. E as cuecas do Sex Shop, tem as de oncinha, de zebrinha, fio-dental, comestível e pros avantajados a de elefantinho.
Mas ainda assim tem gente que não gosta de cueca, gosta de criar o bicho solto, livre, balançando. Prá esses existe a opção Sambacanção que vem com bolso prá combinar com o pijama ou prá esconder dinheiro.
Alguns anos atrás eu e meu irmão Cesar "Bill" Vergara escrevemos uma crônica da cueca, que eu usei agora para escrever esse texto, e na crônica eu falava dos usos ocultos da cueca, olha ela é mais poli-valente do que muita gente pensa. O elástico serve prá fazer estilingue, as cuecas de algodão são ótimas para limpar CD, lente de óculos e tirar pó dos móveis.
Dá pra usar como coador (mas eu prefiro a meia, ela é mais anatômica), e por aí vai...
Basta ter uma idéia na cabeça e uma cueca na mão.
É isso aí, boa semana prá vocês.
Agnaldo Billy Vergara
Enviado por Agnaldo Billy Vergara em 13/06/2010
Código do texto: T2317638
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Agnaldo Billy Vergara
São Carlos - São Paulo - Brasil, 45 anos
73 textos (4843 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/11/14 09:50)
Agnaldo Billy Vergara



Rádio Poética