Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(imagem de A. Fetter, www.thousandimages.com)

VIDA, CALCINHAS E SUTIÃS

               Seria ótimo se a vida fosse um guarda-roupas. Que a gente pudesse fazer com ela o que faz com ele. A gente abre aquela gaveta lotada de calcinha, pensando que tem muita coisa e começa o desespero de faxinar:. Calcinhas que o elástico é apenas uma lembrança que não segura mais nada: fora. Calcinhas com coisinhas escritas que eu não me atrevo a dizer e que fico pensando como me atrevia usar: Deus me defenda, lixo. Calcinhas com rendinhas que a gente usa uma vez pra nunca mais porque coça e incomoda, mesmo sendo meio bonitinha: nem pensar, que eu num tenho mais aquele perfil: bota no fogo. Calcinhas ameaçando cara de sexy que alguma amiga doida te convenceu a comprar e você entrou na onda: nem dúvida, LIXO em letras maiúsculas. E segue. 

                   Desce pra próxima gaveta: sutiãs aos montes. Sutiãzinho lindinho com cara de Barbie do tempo que você era quase virgem (tipo, só não abria a chave da gavetinha): num vai entrar mais no teu corpinho que agora tá mais pra Vera Fischer turbinada: pode chorar, mas vai ter que jogar fora. Até porque não combina com o perfil da faixa etária. Sutiã de rendas e mais rendas que você pagou os olhos da cara num acesso de consumismo porque precisava dar um up no visual: bye, bye. Você usou naquela festa e não quer nem pensar naquele desconforto todo de novo. Sutiã de seda, carésimo, mas que não segura mais a geografia que cresceu abusadamente e além disso é frio pra burro: sorry, ache uma amiga doida que use e faça caridade. 

                   Viu que dilícia? Só que a vida da gente não é guarda-roupas. Não dá pra descartar as merdas que armazenamos anos a fio nas nossas gavetas. Não dá pra jogar fora aquele amor que a gente “usou”(no bom sentido) durante um tempo, mesmo olhando e pensando “Como é que eu pude?” . Essa faxina é foda. E leva tempo pra fazer. Precisa coragem, precisa jogar as culpas fora, os condicionamentos pela janela e, infelizmente, magoar pessoas. E aí pega. 

               Só que o mesmo que acontece com as gavetas, acontece com a vida. Se a gente não limpa, fica usando porcarias que não caem bem e ainda por cima deixa de adquirir coisas que valem a pena e ficariam lindinhas na gente.

Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 04/09/2006
Reeditado em 05/09/2006
Código do texto: T232341

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154025 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 13:00)
Débora Denadai

Site do Escritor