Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOBRE AS "PENAS DE ALUGUEL"

PENAS DE ALUGUEL
Jorge Linhaça
 
O ser humano é algo de formidável, cada qual age de acordo com o que melhor lhe convém,.
Não que isso seja de todo errado, mas existe muita hipocrisia nas letras de hoje.
Cada veículo de comunicação tem sua própria linha editorial, nem sempre a serviço da verdade e da justiça.
Como exemplo recente podemos citar a manipulação
das noticias sobre o conflito Israel x Líbano, com cada veículo de comunicação noticiando os fatos e mudando o enfoque de acordo com os interesses de seus proprietários.
O mesmo se pode dizer do ano eleitoral em que vivemos, onde cada analista político tende para um ou outro lado da balança, de acordo com os interesses que defende.
A campanha eleitoral, em pleno andamento, é um prato cheio para percebermos como agem os marketeiros de plantão de cada candidato...Mascara-se a verdade e enfoca-se apenas o que cada candidato pretensamente fez de bom.
Raramente candidatos escrevem seus próprios discursos, eles são muito bem compostos a fim de que se ocultem as verdades que não se querem ver demonstradas.
A força da palavra pois reside na autenticidade que se possa dar à mesma, portanto não é de se estranhar que quem não possua realmente o dom de argüir ou defender os próprios pontos de vista, recorra a "penas de aluguel" para que façam a sua defesa e tentem transmutar malefícios em benefícios.
É bastante interessante, vermos candidatos ao poder, falarem na tv, lendo telepronters cuidadosamente colocados abaixo da câmera que os filma.
Em alguns momentos chega a ser hilário ver alguns candidatos menos traquejado tartamudearem palavras, até mesmo simples, confundindo emagrecer com esmagrecer, problemas com pobremas...
Acredito que as pessoas devem defender sim os seus pontos de vista, mas creio também que devem defende-los com suas próprias palavras.
 Recorrer a penas de aluguel para dar o seu recado, demonstra apenas a falta de segurança sobre o que se diz, gerada talvez pela incompetência, ou quem sabe mesmo pelo medo, de um ato falho, deixar transparecer o seu verdadeiro caráter.
Muitas vezes esses senhores são blindado por um séqüito de moleques de recados, cuidadosamente aliciados com as promessas de vantagens futuras.
Isso traz algumas vantagens para quem usa desse subterfúgio, ele não se expõe diretamente e pode sempre alegar que não foi de sua boca que saiu esta ou aquela afirmação, transferindo a responsabilidade das mesmas para seus aliados da vez.
Por outro lado, aqueles que se prestam a "alugar" suas penas, demonstram apenas que se deixam manipular a bel prazer dos que fazem uso desse expediente, esquecendo-se de que são apenas peças descartáveis, usados para atingir um determinado objetivo.
Eu de minha parte sou dono de minhas convicções.
Mudar de idéia?
Claro que sim! Não sou dono da verdade.
Mas  desde que me demonstrem com atos e argumentos reais que estou errado.
Até lá, minha postura será sempre a de combater a mentira e a hipocrisia, dos que se arvoram em paladinos da paz e da justiça e apenas buscam seu interesse pessoal.
Muitas vezes me sinto pregando no deserto sim, mas mesmo no deserto, em meio às areias estéreis , nascem flores.
E são essas flores que merecem a minha atenção.
Jorge Linhaça
Enviado por Jorge Linhaça em 05/09/2006
Reeditado em 06/05/2008
Código do texto: T232912
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Linhaça
Salvador - Bahia - Brasil, 55 anos
3723 textos (711031 leituras)
95 áudios (13093 audições)
1 e-livros (277 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:58)
Jorge Linhaça