Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VOCÊ ACHA QUE RESPEITA AS REGRAS?

Você acha que respeita as regras?


  Em harários de pico, nossas rodovias têm um fluxo de carros e caminhões muito intenso. Todos sofrem com a lentidão do tráfego, mas alguns espertinhos apelam para manobras irregulares. Depois quando são pegos e recebem aquela multa, inventam as desculpas mais esfarrapadas do mundo. Como estar febril e apressado pra chegar à farmácia e não ter uma convulsão no caminho.


 São pessoas comuns, que por acaso foram pegas num momento de impaciência, desatenção ou talvez estupidez. O trânsito hoje está uma guerra e nunca se sabe quem é o inimigo que está dirigindo o outro carro. Os motoristas andam armados e se descontrolam com muita facilidade.


 Pela grande quantidade de mortes no trânsito brasileiro, normalmente a culpa pelos índices recai sobre maus motoristas, considerados infratores crônicos. Mas a verdade é que muitos de nós, em circunstâncias adversas, podemos nos tornar condutores agressivos e até maus motoristas, daqueles que correm demais, colam na traseira do carro da frente, ultrapassam pelo acostamento e fazem manobras alucinantes.
 

 Boa parte dos acidentes é provocada por pessoas comuns, que se tornam agressivas, por estarem submetidas a situações de estresse, e nervosos, agitados e emocionalmente descontrolados, não usam a seta, excedem o limite de velocidade e avançam o sinal.


  Na verdade as pessoas procuram obedecer às regras de trânsito, mas é próprio das pessoas, principalmente as que têm uma personalidade impulsiva, desafiar os limites impostos pela nossa sociedade.


  De fato, muitas pessoas mudam, quando estão ao volante e quando estão sentadas no bando do automóvel.Dentro do carro com o volante a mão, sente-se mais poderoso, fica mais corajoso e agressivo. O carro na verdade se torna para essas pessoas, uma arma.E o carro na verdade, é simbolicamente o que protege a pessoa, e o deixa inatingível ao seu inimigo, ou a sua ameaça que é o outro motorista.


  Infelizmente a sociedade desqualifica os condutores prudentes, que dirigem na velocidade adequada, e vê o motorista que dirige em alta velocidade, como um ás. Então para sobrevivermos, é necessário aprendermos a dirigir defensivamente.


  A incompetência, a incivilidade e o atrevimento revelado por vários motoristas, acabam é claro, por gerar tensões, que deixam muitos descontrolados e até tornam alguns perigosos.


Será que o automóvel extrapolou o seu papel, a sua função?

  Os hábitos no trânsito refletem a própria sociedade. A agressividade no trânsito é uma resposta à competitividade e à violência urbana.

 Será que as pessoas vêem os riscos que correm no trânsito?

 Será que elas acham que não há nada a temer?

Será que por verem estradas sinalizadas, e pelo fato dos carros estarem cada vez mais cheios de itens, acham que nada tem a se preocupar?


 Seria interessante para evitar problemas, criar uma consciência firme e levá-la as vias de fato, de quão importante é respeitar as leis de trânsito e igualmente as leis que regem a sua vida emocional e física. Tentar em nossos tempos ter um tipo de guia de sobrevivência. Ler e procurar conhecer maneiras de lidar com segurança, com a sua e com a dos demais.


 É unânime entre especialistas que estudam o comportamento do ser humano, que não se deve reagir a provocações. Quando alguém no trânsito nos corta a frente, ou fura o sinal, surge àquela tentação de buzinar ou xingar.Isso pode ocasionar até mesmo em sua morte.Nunca sabemos a postura de quem esta atrás de nós, a nossa frente, no nosso lado.


O seu direito de ir e vir, usando dos meios de que você dispõe, inicia-se em você e vai até o outro e vice e versa. Portanto seja um motorista cauteloso, consciente de que você não precisa apressar o dia da sua morte , muito menos a de outras pessoas, e que um minuto basta para você cometer um erro ao qual jamais poderá reparar.

milizinha
Enviado por milizinha em 09/09/2006
Reeditado em 20/05/2011
Código do texto: T236126

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
milizinha
Rio do Sul - Santa Catarina - Brasil, 52 anos
637 textos (94421 leituras)
1 áudios (272 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 19:54)
milizinha