Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Meu brinquedo de plástico



                                       Ao ver meus filhos e outras tantas crianças e jovens de nossa louca sociedade fazendo tanta questão por um brinquedo eletrônico, um computador, um vídeo-game de última geração,  vem à minha mente, com um gosto de saudosismo e até de dor a lembrança da minha  humilde infância.
                              Brinquedos usados... uma girafa de plástico que, com o tempo foi ressecando, até descascar e se desmanchar, para tristeza daquele menino que nunca ouvira falar de ecologia, mas sofria agora com o fim daquele estático quadrúpede. 
                              Mas, como disse, era de plástico a girafa... reciclável.
                              Um carrinho de corrida... de plástico! 
                              Ganhei de uma tia e brincava com ele nas tardes solitárias de minha infância... de plástico. (Não-reciclável)
                               E, por ser de plástico aquele carrinho, não precisava emplacar, registrar nem abastecer... só brincar. E, para isto, não precisava de computador, nem vídeo-game, nem controle remoto.
                               Eu (que nunca fui de plástico) me contentava em dar voltas sozinho com o meu único brinquedo... de plástico.
                               E eu também era único em casa. Meus irmãos mais velhos que eu (eu sou o caçula) já tinham ganhado o mundão e fiquei só com meus pais. E, falando em pais... minha tv era minha mãe, contando histórias enquanto aguardava meu pai chegar do trabalho trazendo cansaço, abraço e algum pedaço de sanduiche que guardara do almoço pra dividir comigo. Frio, mas aquecido com o cuidado e o amor que somente os pais parecem ter. 
                                E, depois de muito brincar, comia aquele saboroso sanduiche e ia dormir, na esperança de ter bons sonhos. Sonhos com brinquedos, talvez de plástico, mas, sonhos bons, duradouros... como não são as infâncias nem as girafas de plástico.


---
CONHEÇA TAMBÉM A POESIA "CÉU DE PAPEL".
CONVIDO VOCÊ A VISITAR MEU SITE (QUE NÃO É DE PLÁSTICO):
http://www.miltonduarte.prosaeverso.net



                                
                              
MILTON DUARTE
Enviado por MILTON DUARTE em 15/09/2006
Código do texto: T241237

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MILTON DUARTE
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 49 anos
170 textos (564567 leituras)
44 áudios (203640 audições)
1 e-livros (80 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:22)
MILTON DUARTE