Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

1964


Terminando o curso de CADES, permaneci em Fortaleza, na casa de madrinha Auristela, gozando da companhia dela e de Auriluce e aguardando a data da cirurgia, a qual eu me submeteria. Passei o carnaval lá, onde tive a oportunidade de ver de perto os maracatus, e, através da TV, o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, pela primeira vez.

No dia dezoito de fevereiro fui operada da vista pelo Dr. Leiria Andrade, na Casa de Saúde Cesar Carls, para corrigir o estrabismo com o qual convivia desde a idade de seis anos e que estava causando cansaço ao olho esquerdo e diminuição da visão do direito.Além da assistência de madrinha Auristela e Auriluce, tive a da minha amiga de infância Maria Cabral (Lilia) que me acompa-nhou antes, durante e após a intervenção cirúrgica.Cumprindo o período pós-operatório entre as pessoas queridas, que tão bem me acolheram, regressei a Brejo Santo, de avião, na companhia do Sr. Otacílio Alves, amigo e vizinho da nossa família, que se encontrava na capital, em viagem de negócios.

A prefeitura municipal me concedeu noventa dias de licença para tratamento de saúde, permitindo assim que eu me ausentasse do trabalho de Estatístico Municipal, da agência do IBGE.

Permaneci apenas com as aulas de Matemática do terceiro ano primário e do curso de admissão ao ginásio, no horário de sete às nove da manhã, na Escola Pe. Abath.
Quanto às aulas do curso normal, eu não poderia deixar de assistí-las, de uma vez que no fim do ano seria a minha formatura. Eu seria, enfim, professora diplomada, não apenas uma aluna-mestra como vinha sendo até então.

Este foi o ano em que muitos brasileiros tiveram seus mandatos cassados e seus direitos políticos suspensos, inclusive o ex-presidente Juscelino Kubitschek, então senador. Ele foi entre tantos e tantas, filhos e filhas deste país, uma das vítimas das injustiças decorrentes do Ato Institucional n° 5 (AI- 5).

Foi nesse ano que o nosso imortal Luis Gonzaga gravou a “Triste Partida”, do compositorcearense “Patativa do Assaré”, tornando-a  conhecida em todo território nacional e logo mais internacionalmente.Essa música fala fundo ao coração de todo nordestino, e, é para mim o hino da região nordeste.

Em outubro, tivemos a inauguração do Brejo Santo União Clube, que teve sua sede construída em oito meses.
Os Srs. Emílio Salviano Alves e Otacílio Alves Pereira, fi-lhos amantes deste torrão natal, foram os primeiros presidente e vice-presidente, respectivamente, do B.S.U.C.

Estes dois cidadãos brejosantenses demonstraram através de suas ações, como, por exemplo, a instalação da companhia telefônica de Brejo Santo, o seu amor à sua terra.

No final do ano conclui o curso normal, com 19 anos de idade. Tive como padrinho o meu pai, por madrinha do anel Maria Brasil Sampaio e dancei a valsa com Raimundo.
Foi um dia muito feliz para mim. Além da formatura, foi a oficialização do meu noivado com Raimundo, o meu atual esposo e pai dos quatro adoráveis filhos que Deus permitir que gerássemos.

Concluo esta página sintetizando-a com o pensamento de Fernando Pessoa: “Se recordo quem fui, ontem me vejo. E o passado é o presente na lembrança”.









marineusa
Enviado por marineusa em 18/09/2006
Código do texto: T242961

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (marineusantana@hotmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marineusa
Brejo Santo - Ceará - Brasil, 71 anos
1726 textos (322753 leituras)
39 áudios (29264 audições)
18 e-livros (9104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:20)
marineusa