Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Circo Eleitoral apresenta: Presidente Mula e seus companheiro

Compreendo que foi a eleição mais esperada pelas pessoas e para mim, a que fazia muita questão de votar.
Divergentes opiniões sobre a campanha eleitoral dos candidatos revelaram uma identidade que para muitos eleitores estava oculta. Entre mensalão, mensalinho, dinheiros na cueca, CPIs, sanguessugas, dossiês...há quem acredite na inocência e quem pregue o bom moço frente à tv. Não sou contra os esquerdistas, mas sejamos francos, como aceitar um presidente como o grau de instrução inferior ao meu? Como reeleger uma pessoa que se quer apresenta-se para a mídia por medo de perguntas sem respostas? Como explicar tantas viagens? Corrupção? Lavagem de dinheiro? Caixa 2...
Entendo que a corrupção sempre existiu e o lado bom do “Forest Gump” é que pelo menos ficou escancarado para quem quisesse ver ou ao menos para tomar consciência de quem está à frente de seu País.
Propagandas eleitorais são cansativas e exigem paciência. As pessoas ressurgem sempre com o mesmo discurso. Experimente não desligar a televisão e dar uma chance a você mesmo. Note que a política virou um grande circo onde os palhaços são os eleitores enquanto os políticos pulam de galho em galho feito macacos.
Somos sujeitos a ouvir campanhas ridículas e candidatos fazendo malabarismos para chamar atenção. É Frank Aguiar, Clodovil, Fernando Collor e Maluf, em que País vivemos?? Tudo é motivo de piada e tudo vira brincadeira. Como diz a letra de Vossa Excelência do grupo Titãs “Filha da puta, bandido, corrupto, ladrão...um dia o sol ainda vai nascer quadrado”, assim, Maluf e seus milhões, Collor e sua cara de pau (PERÓBA NELE!!), Clodovil, Frank Aguiar e seu  "áuu" que a partir de então, encantará o plenário com embalos das mais singelas letras de forró, estreará Clodovil e seu rebolado e Ângela Guadagnin volta ao plenário, porque agora sim ela tem motivos para dançar.
Meus companheiro e companheira, eu ainda não sei colocar os “s” no fim das frasi, mais quero governar o País, vamu ser potência, vamu gera imprego, vamu acabar com a fomi, e vamos pagar bolsa família para nosso “Presidente” voltar á escola.
O mais incabível são as pessoas que tratam o assunto com normalidade e abrem a boca para falar que tem orgulho ser brasileiro, o que causa-me vergonha só de lembrar. Diante de tantos absurdos eu sou impotente e apenas mais um em meio à multidão. Mesmo diferindo a opinião da massa e buscando uma forma de dizer que a política brasileira é formada por “estrelas”, corruptos reeleitos após escândalo, continuo esperançosa para que no 2° turno seja eleito competência e cuidado, porque respeito o Brasil nunca teve, nem por brasileiros nem por estrangeiros. O que tem, talvez, é o governo que merece.


Talita Scotto
Enviado por Talita Scotto em 02/10/2006
Reeditado em 10/07/2008
Código do texto: T254700

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Talita Scotto
São Paulo - São Paulo - Brasil
92 textos (10704 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:07)