Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
         O NOVO MILÊNIO



          O novo milênio, tão esperado por todos, por alguns com muita esperança, por outros com superstições, chegou naturalmente, como um ano comum.

         Embora tenha trazido muitas bençãos para uns, especialmente para os que estão vivendo o tempo de Espírito Santo, o Pentecostes perene, trouxe para os que estão vivendo o tempo da violência, muito fluído negativo.

         À medida que uns crescem na espiritualidade, no amor; ou tros crescem na maldade, no desamor. E a mídia, infeliz mente, divulga, valoriza e até estimula, de um certo modo, os segundos.

         Poucos são os canais de televisão, os programas que levam ao ar as coisas boas e bonitas, as ações amorosas dos cris tãos, dos voluntários, daqueles que conduzem Jesus aos doentes, aos drogados, aos idosos, enfim, aos que carecem de amor.

         Constatamos também que em plena época da comunicação, com meios tão sofisticados, infelizmente a família perde o hábito de dialogar, de partilhar seus problemas, seus interesses, seus sonhos, por falta de tempo para comunicar-se.O corre-corre do dia-a-dia na busca dos valores mater iais, inclusive do supérfluo para alguns, causa o desen contro e não permite que a família desempenhe o seu verda deiro papel, a sua sagrada missão, e, aos poucos ela tem perdido os valores morais e espirituais.

         E os que não têm condições de sobrevivência, os que perderam a auto-estima, o amor próprio, o respeito por si mesmos, como podem amar aos outros, como podem educar na fé e para o amor?

         Os contra-valores falam mais alto diante da situação em que vive a maioria do povo, e, aí está a raiz de toda violência, de toda maldade, de toda criminalidade, de toda insensibilidade, de toda falta de respeito à vida... de toda falta de amor.

        Infelizmente o homem (a maioria da humanidade) se distanciou se Deus, perdeu o senso de justiça e a capacidade de amar.

        Só o amor, só Deus é a solução para esta humanidade insensível que aí está.


marineusa
Enviado por marineusa em 06/10/2006
Reeditado em 26/10/2006
Código do texto: T257480

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (marineusantana@hotmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
marineusa
Brejo Santo - Ceará - Brasil, 71 anos
1726 textos (322787 leituras)
39 áudios (29264 audições)
18 e-livros (9104 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:42)
marineusa