Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O dia em que falei com Renato Russo

Minha cunhada estava fazendo um trabalho para faculdade sobre depressão e queria entrevistar o Renato Russo. Para isso, telefonou para ele no Rio de Janeiro. Como ele não estava, deixou um recado na secretária eletrônica dizendo o assunto, seu nome e telefone. Apenas para ser educada, pois jamais pensou que ele ligaria para ela; uma total desconhecida e ainda mais universitária (como são chatos esses universitários quando estão fazendo trabalhos de faculdade! digo isso, pois já fui uma).



Eu não sabia de nada, apesar de ela ter feito a ligação da minha casa, já que não possuía telefone no apartamento que dividia com uma amiga. Também havia deixado o número do telefone da minha casa no recado que deixou na secretária eletrônica do Renato Russo. E eu não sabia de nada.



Pois bem, alguns dias se passaram e, estava eu trabalhando no micro, quando o telefone toca e eu atendo:

- Alô?!

- A Renata está?

(Renata é o nome da minha cunhada.)

- Não - respondo eu. - Quem queria falar com ela?

(Tento ser educada, apesar da pressa em me livrar daquela voz masculina.)

- É o Renato Russo.

(Eu, sinceramente, na hora não entendi a segunda parte do nome.)

Pergunto:

- Quem?

- Renato Russo.

(Como continuava sem entender a segunda parte do nome e, para não parecer insistente, ou no mínimo surda, digo:)

- Ah, tá...

Ao que a voz do outro lado responde:

- Obrigado.

(Seguiu-se aí o de praxe:)

- De nada.

- Tchau.

- Tchau.



Ao final da tarde, depois que minha mãe acordou de uma soneca pós-almoço, lhe transmiti o recado: “Um tal de Renato ligou pra Renata. Não entendi direito o sobrenome, mas era algo parecido com ‘Prusso’.”



Uma meia hora depois, minha cunhada liga de um orelhão para saber se alguém havia telefonado para ela. Minha mãe, então, lhe conta a minha história. Eu que estou longe, ainda trabalhando no micro, ouço minha mãe gritar do quarto:

- Aline, a Renata quer saber se não era o Renato Russo!

(Espantei-me: Renato Russo!?)

- O Renato Russo ligou aqui?! - perguntei. - Quando?

- Ela quer saber se esse Renato que ligou hoje era o Renato Russo!

(Parei e pensei.)

(Renato Prusso... Renato Russo!)

(Gelei.)

(Eu falei com o Renato Russo?!)

- É, acho que era então... - respondi ainda incrédula.

(Será que era o Renato Russo?)



Depois que minha mãe terminou de falar com minha cunhada, me contou a história toda, que ela tinha ligado para ele, para entrevistá-lo e, como não estava, deixou recado com o número da nossa casa.

- O Renato com quem você falou era o Renato Russo! - disse minha mãe, que nunca foi roqueira, o identificava como “é aquele que tem a voz parecida com a do Jerry Adriani?”



(Mas como que eu ia adivinhar que o Renato Russo ia ligar para minha casa?! Repito: Eu não sabia de nada!)



No dia seguinte, minha cunhada me perguntou:

- A voz dele é mesmo bonita?

(Tentei me lembrar.)

- É.

(É mesmo! a voz era a mesma dos discos, das músicas... Gente! Eu falei com o Renato Russo e não sabia!)
Aline Ponce
Enviado por Aline Ponce em 07/10/2006
Código do texto: T258847
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aline Ponce
São Carlos - São Paulo - Brasil
13 textos (10128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 05:51)
Aline Ponce