Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Prometo que a partir de hoje

Prometo que a partir de hoje não vou mais fazer promessas nas quais nunca consegui cumprir.
Prometo nunca mais vou dizer que não vou amar ou me apaixonar e nem me entregar novamente, pois quando sinto a brisa da primavera entrar pela minha janela o que faço é acreditar que esta estação não vai acabar.
Prometo que não vou me sentir culpada por ter desejos de felicidade incontroláveis e muitas vezes sofrer por dentro mais fingir que esta tudo bem
Prometo que não vou mais bancar a forte pois na verdade eu sofro quando as coisas não acontecem do jeito que eu esperava
Prometo não me esquecer no tempo pelo tempo não ter me dado tudo que esperei
Prometo todos os dias ser uma pessoa melhor para que assim consiga fazer promessas
Prometo continuar todos os dias mesmo que eu sinta que tudo esta um pouco destruído dentro de mim
Prometo tentar fazer a diferença ao lado das pessoas que estão ao meu lado e não magoa-las da forma que costumo fazer mesmo sem querer
Prometo não desejar o mal a ninguém independente do que esta pessoa me faça ou fez
Prometo deixar que as coisas aconteçam no seu tempo certo, pois ate hoje tudo que eu pressionei não costuma ir adiante e além dos meus sonhos
Prometo fazer promessas um dia que estejam condizentes com a minha realidade para que assim possam tomar a mesma proporção dos meus sonhos para que um dia eu não consiga mensurar a minha capacidade e conseguir passar isto adiante.
Prometo amar além do que eu posso mesmo que isso me leve a dor
Prometo respeitar sempre e acreditar na vida todos os dias
Prometo que agora vou tentar cumprir pelo menos cinqüenta por cento de minhas promessas pois assim sentirei que sou um ser humano melhor
Prometo que se acaso descobrir que não houve amor que eu descubra que existe um momento no qual eu tive desejo de realizar uma promessa para tornar o que vivia naquele instante eterno para que assim mesmo tendo a consciência que seria passageira dentro de mim me fizesse acreditar que aquilo é o contraponto de minha alma.
Mary Borges
Enviado por Mary Borges em 14/10/2006
Código do texto: T264117
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mary Borges
São Paulo - São Paulo - Brasil, 30 anos
41 textos (3376 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:48)
Mary Borges