Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quem é você?

_ Quem é você?
_ Quê?
_ Perguntei quem é você.
_ Sou o dono do local para onde você ligou.
_ Como é o seu nome?
_ Pra que quer saber? Você está bincando comigo?
_ Não é brincadeira, como é o seu nome?
_ Não vou falar, porque nem sei o que você quer.
_ Quero conversar, só isto.
_ Porque eu para conversar, você me conhece?
_ Conheço, eu lhe vi na rua e sei que precisa de ajuda.
_ Como assim? Não preciso de ajuda não, tenho meu próprio negócio, que está indo bem por sinal, tenho carro e casa própria, não tenho doença e não tenho problemas na família.
_ Mas eu sei que tem algo errado, e no fundo você também sabe.
_ Não sei, o que é que tem de errado?!
_ Você tem um negócio carro e casa própria, mas não tem com quem partilhar isto tudo.
_ Ah, mas isto não é problema, eu não quero partilhar mesmo, construi sozinho, e quero gastar sozinho.
_ Mas você não vai gastar isto, porque não confia em ninguém para gastar, não tem ninguém para lhe substituir nas férias, não tem com quem viajar, e além disto tudo, está economizando para poder ganhar mais dinheiro futuramente.
_ Estou mesmo. E quando conseguir mais dinheiro aí eu vou viajar o mundo todo.
_ Não! Você está enganado! Quando você ganhar mais dinheiro, vai ficar fascinado e economizará para poder ampliar seu negócio e seus bens, daí não terá tempo nem segurança para viajar, ficará rodeado de interesseiros e “puxas saco”, como você tem a visão aberta, saberá que viajar seria dar de mão beijada tudo o que conseguiu.
_ Quem é você para me dizer isto, há quanto tempo vem me observando, o que tem com a minha vida, vai cuidar da sua!
_ Calma, porque você esta nervoso, será que é porque concorda comigo?
_ Lógico que não, você é louca!
_ Então olhe a sua volta. Já percebeu que você anda conversando sozinho? Na rua passa gesticulando com a testa enrugada. Quantas amigos você ignora? Você é que está louco!
_ Meu Deus, agora arrumei alguém pra cuidar de mim, dar conselhos e ainda me chamar de louco, ds ds ds. Fale-me quem é você, sua voz não me é estranha, fale ou vou desligar. Louca (resmungando).
_ Sou sua mãe...
Como eu queria que você estivesse louco, só assim não me culparia de ter se tornado a pessoa que é. Desculpe-me meu filho, a culpa deve ser minha. Boa noite e durma bem...
Tum tum tum...
Enzo Pinho
Enviado por Enzo Pinho em 16/10/2006
Reeditado em 12/11/2006
Código do texto: T265923
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Enzo Pinho
Nova Era - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
239 textos (20091 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:26)
Enzo Pinho