Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU E-MAIL

Meu e-mail é: elvis.presley@rockandroll.com. Te vejo na rede!

Até esse momento tudo estava tranqüilo. Havíamos nos encontrado virtualmente num cyber café e o papo rolou em torno de música, cinema e drogas. Quanto à musica e ao cinema, não tive maiores problemas. Com aquele "conhecimento básico" que, às vezes, impressiona (mais pela capacidade de inventar nomes e datas do que pelo real "conhecimento básico"), discutimos sobre filmes, diretores, astros do rock e shows. Quanto as drogas, meu conhecimento é uma droga. Não fosse por amigos que conhecem a fundo o assunto e, de vez em quando, me colocam a par das novidades (mesmo que eu não peça informação alguma a respeito), a ignorância seria total. Não que eu não tivesse tido oportunidades de, pelo menos, experimentar. Mas, sempre senti que outras coisas fazem mais a minha cabeça.

Elvis, por exemplo. E é por isso que quando ele me disse seu e-mail, fiquei até assustado. Quem teria a imaginação de bolar um endereço eletrônico como aquele? Com tantos internautas que utilizam programas de e-mail e mesmo as combinações possíveis sendo infinitas, não pude deixar de admirar a criatividade (prá não dizer a cara de pau!) do sujeito em escolher um endereço tão inusitado. Ronaldo76@coldmail.com ou LuzDaNoite@darkmail.com já seria o suficiente. Mas não...

Fiquei imaginando se realmente não havia conversado com o próprio. Com o rei do rock. E se ele estivesse escondido em algum lugar, fugindo de todo o assédio e de toda a pressão que o talento nato colocou nos seus ombros? Talvez agora, estivesse escrevendo um e-mail prá me dizer que gostou muito de conhecer mais um amigo via internet e que gostaria de saber mais sobre as meninas do Brasil e sobre as nossas praias e sobre o carnaval. Fico imaginando Elvis sambando.

"Yeah baby, eu inventei a minha própria morte para poder viver em paz."

Talvez estivesse em forma. Não como na época em que tinha temporada permanente nos cassinos de Las Vegas, mas como na época em que enlouquecia as garotas com seu rebolado e seu topete. Claro, um pouco mais velho, com algumas rugas e tal. Mas seria o bom e velho Elvis. Talvez estivesse cansado de viver enclausurado e estivesse querendo contato com o mundo. Talvez estivesse vivendo escondido na casa da Priscilla, conectado via e-mail com um fã pouco provável, perdido aqui no Brasil e que tem saudades do tempo em que ouvia seu pai dizer: "Filho, Elvis é o rei!"

Por enquanto, fico esperando uma mensagem. Quando vier (se vier), não vou lutar contra a tentação de perguntar: "Eae? Você conhece o rei Pelé?"
Rafael Zanette
Enviado por Rafael Zanette em 22/06/2005
Código do texto: T26742

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael Zanette
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
52 textos (3631 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:18)
Rafael Zanette