Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inesperado

A inocência é um poder real que nos auxilia em nossa vida no contato com o inesperado. Se deixarmos que ele, o inesperado, nos conduza sempre teremos um bom resultado em nossas andanças pelo mundo, pois estar com o coração aberto em tudo o que fazemos é um exercício que nos aprimora e nos ajuda na ampliação da nossa percepção extra-sensorial.

Para estarmos em contato real com o estado de inocência precisamos nos desapegar intensamente de nossos egos. Para isso temos que aprender a perceber a real diferença entre a nossa essência mais sutil, e o nosso ego. Posso dar uma dica, mas não posso ensinar por que é uma experiência muito especial, o contato com o nosso mundo interior: O ego tem sempre uma atitude impositiva, constritiva, limitadora, opressora. O nosso ser mais sutil tem uma atitude expansiva, libertadora, amorosa. Observemos como estamos agindo e vamos saber o que está atuando em nós naquele momento específico. Aí nós poderemos dizer sim ou não à maneira como estamos agindo no ambiente em que vivemos e estaremos crescendo, ampliando a nossa consciência. Lembremos que o momento do planeta é crítico e que podemos ser chamados ao mundo espiritual a qualquer momento e nada como estarmos preparados para enfrentar o desconhecido.

Quando permitimos que o ego se manifeste nos afastamos do instante imediato, por que ele só entende aquilo que já conhece e o que conhece está ligado ao passado, às coisas que já viveu e a vida é regida pelo inesperado, pelo desconhecido. O futuro imediato trás situações nunca experienciadas, que nos obriga a estar abertos, pois quando nos fechamos em torno daquilo que já conhecemos deixamos de aprender alguma coisa nova, deixamos de expandir a nossa consciência, deixamos de viver.

Quando condenamos os outros ou nos revoltamos contra alguma coisa, estamos presos ao passado. Neste caso a única coisa a ser feita é liberar o nosso pensamento do casulo ao qual está preso, utilizando o silêncio e fazendo o exercício de expansão de nossa consciência. Imaginemos que estamos em um lago e que ao nosso redor se formam pequenas ondas, que vão se expandindo em direção às margens do lago, mantenhamos está imagem pelo tempo que nos for agradável, quando cansarmos cuidemos de outros afazeres e quando percebermos que estamos nos ligando novamente ao passado, façamos o mesmo exercício. É sempre bom fazer oração, mas sempre no sentido de alcançar a Graça Divina para todas as criaturas no universo. Quem trabalha para o outro, trabalha para Deus.

Não nos permitamos ficar perdidos, sem rumo. Abandonemos as nossas ambições pessoais e permitamos que Deus cuide de nossas vidas, assim o que acreditávamos que nunca iria se resolver, de repente soluciona-se de uma forma inusitada e inesperada. Se vier algum pensamento contrário ao desprendimento, à boa vontade, ao amor, simplesmente nos desliguemos dele, fazendo algum exercício de mentalização.

Desarmando propositalmente a nossa atitude egóica e abrindo o nosso coração para Deus, permitindo sermos conduzidos pelo Seu Amor profundo, encontraremos o sucesso em tudo que fizermos na vida
Rick Steindorfer
Enviado por Rick Steindorfer em 22/10/2006
Reeditado em 22/10/2006
Código do texto: T270468
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Rick Steindorfer). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rick Steindorfer
Águas de São Pedro - São Paulo - Brasil
3533 textos (515930 leituras)
33 áudios (94901 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:56)
Rick Steindorfer