Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OS TERMOS DA ELEIÇÃO

                                                  OS TERMOS DA ELEIÇÃO
                                              Maria Teoro Ângelo

Votar é um verbo transitivo. Quem vota, deve votar em alguém. Votar assim, sozinho, desgarrado de seu objeto, no contexto de uma eleição importante, fica incompleto. Votar é transitivo indireto porque a ideia nele contida não é suficiente e precisa ir além, andar, transitar até o objeto, isto é, o candidato.
Embora muitos achem que é difícil escolher, que todos são iguais , iguais e ruins, se olharmos com cuidado ainda podemos optar por quem deva merecer o nosso voto. Mas esse olhar é trabalhoso. É necessário pesquisar a vida dos candidatos, analisar seus planos de governo. Não basta dizer que fará isto ou aquilo. É preciso mostrar como e quando irá fazer.
Face a esse obstáculo, muitas pessoas preferem anular o voto. Essa atitude é sinal de descompromisso, alienação, comodismo, descaso, falta de interesse pelo objeto, que embora indireto, mais distante do verbo pela preposição que os une e ao mesmo tempo os separa, é quem vai governar.
Quem governa precisa ser líder, dirigir as ações, estabelecer hierarquias e a cada nível ter alguém que lhe reporte o andamento do que foi proposto. A grande massa de pobreza que define as eleições está anestesiada  pelo medo de que o eleito, seja ele quem for, lhe tire a ajuda em forma de pão. O povo sofrido  põe seus olhos sobre o pouco e deixa de sonhar com outros patamares que garantem a dignidade: educação, saúde, segurança, trabalho e moradia.
Depois de eleito, o governante  vai ser, através do que pode decidir,  o sujeito da ação expressa pelos verbos: gerar, promover, fazer, cumprir, sanar, formar, criar, diminuir, aumentar, despoluir, preservar, empregar ou mentir, desviar, fraudar, enganar... De uns  podemos inferir seus objetos. De outros nem é preciso. Bastam por si na sua intransitividade, carregando toda a força semântica em suas letras.
Para nós, povo, eleitor, brasileiro, neste momento, só nos resta ser o agente da ação de um único verbo: escolher. Então que seja com critério, com seriedade e com esperança.


Lillyangel
Enviado por Lillyangel em 22/10/2006
Reeditado em 17/05/2010
Código do texto: T271076
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lillyangel
Ituverava - São Paulo - Brasil
85 textos (8406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:21)
Lillyangel