Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AQUELE PRIMEIRO BEIJO

Aquele primeiro beijo,
tenha ou não sido de um real amor,
sempre será lembrado... Ou não...

AQUELE PRIMEIRO BEIJO
Marcial Salaverry

Quem não se recorda com carinho do primeiro beijo de amor que teve na vida?
Aquela emoção que não mais repetiu, por mais vezes que se tenha beijado. A primeira vez, por mais escondida que esteja na memória, jamais será esquecida. Tenha ou não sido o melhor, mas sempre terá sido o primeiro, que deixou as mais doces recordações, de um tempo quando ainda existia inocência na vida.
Como foi mágico... O primeiro toque...O primeiro beijo... O despertar dos sentidos...
Para quem ainda não o teve, pode-se perguntar, como se fazia na época "Qual é o beijo do teu sonho?" . Se fosse por um beijo cinematográfico, logo se dizia para não esperar por algo semelhante. Beijos assim, não são espontâneos, não são naturais, são produtos de muito ensaio, portanto, não se deve esperar por algo assim, pois pode ser que isso nunca aconteça, já que na vida real, os melhores e mais autênticos beijos, simplesmente acontecem, sem que possa haver qualquer ensaio. E nem é necessário, pois os instintos afloram e nos "dizem" tudo o que precisamos saber e fazer.
O primeiro beijo costuma ser suave, um toque investigativo. Se existe a sintonia, as bocas dizem a que vieram, instintivamente se adivinham, sabem do desejo, e no beijo, "falam" a muda linguagem do amor.
O primeiro beijo, para ser aguardado, desejado, anelado, não precisa ser o primeiro da vida. pode ser até o milésimo. Mas, sendo o primeiro entre aquelas bocas, sempre será o "Primeiro"..
A cada novo amor, sempre haverá um "Primeiro Beijo". E como é desejado e sonhado...
Existe um tempo para isso acontecer, não deve ser forçado, apenas deve ser desejado. A química precisa existir. Se depois de um tempo não acontecer a labareda, ou seja, se não se sentiu nenhum "aquecimento interior", nada aconteceu, pois não houve a química entre ambos... É essa química que diferencia os beijos, que faz com que uns jamais se esqueçam, e que outros sequer sejam lembrados.
Através do beijo, compartilha-se intimidades. Sente-se o sabor de quem se ama e declara-se esse amor no silêncio de um beijo. É talvez a única forma de interagir com o corpo do outro sem deixar vestígios. Um beijo pode marcar a alma, mas não o corpo. Num beijo existe a entrega da alma, mas não a do corpo, que é outro capitulo.
Em um beijo de amor fazemos a mais doce viagem, e é sem volta. É um caminho de ida, sem destino e sem pressa. É um momento mágico que traz em si a grande vantagem de não cansar.
Beijo de amor não cansa. O sabor sempre será o de "quero mais". Um beijo dado com amor e assim recebido, vale mais do que uma simples transa. É por isso que as "profissionais do amor" não querem beijar na boca, pois não querem sentir envolvimento pelo cliente. Transam, mas não beijam. É aquela transa mecânica, fria, sem o calor dos beijos de amor.
Há quem diga que beijar é trocar vírus e bactérias. Pode ser uma afirmação verdadeira. Mas que de forma alguma preocupa a quem está realmente amando. E, convenhamos, é a mais gostosa contaminação que existe. Com um beijo, geralmente inocula-se o mais forte virus que existe, que é o Vírus do Amor.
Amar é vida. Beijar é viver a vida no amor.
E com o mais puro beijo de amor que existe, que é o beijo da amizade, com um beijo no coração, desejo-lhe UM LINDO DIA.
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 24/10/2006
Código do texto: T272115
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19836 textos (1961241 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 07:59)
Marcial Salaverry