Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AS DECEPÇÕES DA VIDA


Decepções sempre fazem parte da vida...
Apenas precisamos saber superá-las, sem deixar
traumas ou sequelas...
Osculos e amplexos,
Marcial

DECEPÇÕES DA VIDA
Marcial Salaverry

Como qualquer sentimento, o amor também pode nos causar decepções. Principalmente, quando acreditamos na honestidade dos sentimentos de alguém, e tudo era mentira. E isso pode acontecer com todo e qualquer amor.
Normalmente, diz-se que o amor de mãe é cego, e a tudo perdoa, porque para as mães, de modo geral, suas crianças sempre serão perfeitas, e nada farão de errado. Muitas vezes chegam a fechar os olhos para não ver certas barbaridades cometidas por seus rebentos, sempre procurando atribuir a culpa a terceiros.
Acontece que tal julgamento é um tanto quanto falho, e pode causar decepções profundas, pois todas as pessoas são passíveis de erros (nossos filhos inclusive). Mas tal falha de julgamento,  não é “exclusividade maternal”, pois todos nós temos uma tendência natural para jogar com dois pesos e duas medidas, dependendo de quem cometeu este ou aquele erro, se é alguém de quem gostamos ou não. E invariavelmente faremos o prato pender a favor do lado que conta com nossa simpatia. Sempre com a tradicional frase: Fulano eu conheço, é gente de bem. Agora o outro... A simpatia pessoal muitas vezes poderá atrapalhar qualquer julgamento. Nossos amigos serão incapazes de atos falhos, é o que pensamos,  e nem sempre tal maneira de pensar estará correta, pois é necessário que haja isenção de ânimo para que se possa julgar quaisquer atos falhos.
Aliás, isso é reconhecido pela Justiça, quando da escolha dos jurados que irão decidir os destinos de algum réu. Eles não podem sequer ser conhecidos remotos da pessoa a ser julgada, bem como do lado da acusação, para possam julgar com isenção de ânimo.
Li algo, em algum lugar, que diz o que
"As pessoas que mais gostamos, são as que mais nos decepcionam, pois pensamos que são perfeitas e esquecemos que são humanas."
E isso é algo que jamais poderemos esquecer, pois o erro é inerente à nossa condição humana.
 Todos somos sujeitos a fazer alguma besteira. Todos somos basicamente honestos, mas muitas vezes a tentação é forte demais para nossa condição humana, e poderemos cometer algum deslize. Aliás, sempre o modo de pensar é exatamente esse, pois em nossa concepção, os outros erram, ou fazem sacanagem, nós, ou nossos amigos apenas cometemos eventuais deslizes.  Imbuídos dessa certeza, saberemos que aqueles a quem amamos também estão classificados como humanos, e passíveis de erros. Mas quando estes acontecerem, nossa decepção sempre será dobrada.
Essa falha de julgamento é um dos erros que mais frequentemente cometemos.
Muitas vezes preferimos encobrir certas coisas erradas, por terem sido praticadas por pessoas de quem gostamos. Se nosso amor nos trai, ele apenas fraquejou. Se nosso filho cometeu algum crime, é porque foi levado pelas más companhias. Se nosso amigo é um político corrupto, apenas não teve condições de resistir às pressões de grupos poderosos (principalmente se algo sobrar para nós...).
Nosso julgamento quase sempre é falho, porque fechamos os olhos para não enxergar a real realidade. Enfim, somos humanos e passíveis de erros. E um desses erros é não saber diferenciar até onde pode nos levar o nosso julgamento pessoal, pois é necessário saber analisar bem todos os fatos, e jamais poderemos nos esquecer de que certos deslizes sempre devem ser apurados, independendo de terem sido cometidos por pessoas de quem gostamos, por mais cruel que seja nossa decepção com o fato.
Nunca será fácil digerir uma traição de alguém que amamos, ou aquela pessoa a quem tanto consideramos, ser na realidade capaz de cometer atos delituosos, mas encobri-los fará de nós alguém tão culpado quanto eles.
E sempre deveremos ao menos tentar fazer nossa parte para que as coisas andem por um caminho certo.
Com tudo isso, vamos pensar de uma maneira positiva, tendo UM LINDO DIA.
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 29/10/2006
Código do texto: T276612
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19856 textos (1962722 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:51)
Marcial Salaverry