Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Diario de uma MULHER"

O cérebro feminino é um pouco menor que o masculino, mas estudos mostram que isso não interfere no nosso desempenho, alias, testes comprovam que as mulheres são 3% mais inteligentes que os homens. Final da historia do “loira burra”.

Temos dificuldades em identificar a mão direita da esquerda, mas conseguimos escovar os dentes e andar, ver tv e falar ao telefone, fomos programadas pra usar ambas partes do nosso “pequeno” cérebro ao mesmo tempo.

Não tentem mentir, pois temos sensibilidade suficiente para notar alguma incompatibilidade entre os sinais verbais e não verbais e um sorriso amarelo de nada vai adiantar.

Não falamos demais, nem somos tão pouco tagarelas, fofoqueiras como muitos dizem. A fala é nossa principal forma de expressão, pensamos em voz alta pra agradar e compartilhar, na maior parte das vezes não queremos respostas, basta que nos escutem

Ao perguntar pela cor de sapato a ser usada em um evento, não nos torna inferior, basta responder azul, amarelo, verde é simples e não dói. Rir dessa situação, não é engraçado, é rude.

Com nossa visão é periférica, podemos encontrar uma chave perdida, um par de meias em uma gaveta, facilmente. É só pedir com educação e não ter ataques explosivos.

Para fazer sexo, precisamos de um motivo e não só de um lugar. Não usamos o sexo para expressar o que não conseguimos expressar emocionalmente e nem para aliviar a tensão.

Ser indireta é uma especialidade feminina e serve a um propósito específico: a aproximação, evitando agressões, confrontos ou discordâncias. Não temos culpa se voces são diretos, e não conseguem seguir um raciocínio sinuoso

Quanto a se perder na rua, em shopping, em mercados, não temos a capacidade espacial de voces, não somos caçadoras natas e sim protetoras, o máximo que caçamos ao longo dos tempos, quando queremos claro, é o bicho homem.

Se dirigimos mal ou não sabemos olhar um mapa é porque nosso senso de direção não é tão apurado quanto ao de voces, e não nos sentimos impotentes ao parar e perguntar a alguém

Enfrentamos situações de modos diferentes, não escondemos emoções e mostramos que estamos erradas. Não temos culpa se perdem o controle quando recebem critica e não reconhecem seus próprios erros.

Essa coisa de se coçar, gargalhar alto e tossir em lugares públicos, não representa potência sexual e sim falta de educação e grosseria. Nós não gostamos disso.

Não nos chamem de chocólatras ou formigas ambulantes, temos o paladar mais aguçado para o doce e não para o amargo tais como cerveja, vodka e afins. Não precisamos de chamamentos pejorativos e sim de atenção e carinho.

Um lembrete, sábado não é dia de futebol, choro não é sinal de chantagem e o assento do vaso foi criado pra ficar baixado.

Ultima coisa, somos emocionais SIM , é nossa arma e isso não nos torna o sexo frágil, temos todo um talento natural, uma química, lemos nas entrelinhas e nossa única regra é a de ser FELIZ!

Uma MULHER.

Mara Pupin
Enviado por Mara Pupin em 01/11/2006
Reeditado em 12/10/2007
Código do texto: T279454

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mara Pupin
Goiânia - Goiás - Brasil, 49 anos
289 textos (28494 leituras)
3 e-livros (228 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:10)
Mara Pupin