Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As cartas do Tarô

                                   Caro Jairo,


Aprendí a manusear o Tarô. Estou pensando em ganhar um
dinheirinho com esta nobre arte de adivinhação.
Joguei para algumas amigas, explodí! Jairowsky, pretendo
enriquecer!

Partindo do principio de que, desde que o ser humano
adquiriu inteligência, ele adora ser enganado, estas
crenças, ou praticas inventadas pelo homem, para subjugar
o semelhante e adquirir prestigio e poder, eu tenho um
tesouro nas mãos. Mas tenho medo! Voce me conhece, ajudou
a formar meu caráter.

Terei eu coragem de usar certas atitudes para enriquecer,
sabendo que esta atitude a meu ver, não tem um fundamento
racional, a meu ver um jôgo de artimanhas para iludir o
proximo?

Um baralho, uma boa observação psicológica, indução a
acreditar, e a pessoa querendo ser enganada, eu posso
advinhar o presente, o passado e o futuro, e até quem a
pessoa foi na outra encarnação.

Geralmente ficam felizes, quando foram Rainhas no Egito,
Imperatrizes Romanas, Condessas Italianas, ou lindas
Cortesãs Parisienses, e frequentavam Versalhes. Psicologia
meu caro! Se eu disser que viviam em Uganda, Tahití ou
Jamaica, eu perco a cliente e as amigas dela. Ter vivido
uma encarnação no Taití soa como uma tragédia. pode-se
levar até bofetões!

Pode-se ousar tudo, desde que o que voce fale é o que a
cliente queira ouvir.
Partindo do principio da supertição, voce pode inventar
tudo. Vejamos:

"A senhora ja teve um grande amor não correspondido, uma
amiga que te traiu; Uma vizinha de cabelos pintados de
loiro (quantas vizinhas eu tenho com os cabelos tingidos
de loiro, castanho, azul e até côr de abóbora?), que te
invejava e ia ao "terreiro" para que voce tivesse aquela
terrível enxaqueca, dor nas juntas, amenorreia, leucorreia,
gases encarcerados e mil outros azedumes que fazem parte
da nossa vida?).

A principio voce pode explorar o medo, a falta de dinheiro,
a falta de objetivos, a frigidez, pois todos nós somos
vítimas destas pequenas coisas do cotidiano.
A desgraça é quando aparece a figura do "ceifador". Como
voce vai explicar aquela figura horrorosa querendo ceifar
tudo, a vida, por exemplo?

Voce tem que dizer que aquela é a carta mais abençoada,
aquilo significa que vai ser ceifado da sua vida, a miséria
o orgulho, as falsas amigas, os homens enganadores e as
doenças. O ceifador vem ceifar aquilo que não presta, para
permitir que na sua vida só brote a erva do bem, do amor,
e tudo de bom que o seu cerebro paradisíaco imaginar. Ajuda
muito. O que voce disser costuma delinear um novo destino
para esta pessoa.
Tem que ter cuidado, vidência. Estou desenvolvendo a minha!

Receitar um banho de manjericão, um chazinho de hortelã,
lavagens vaginais com malva em cozimento natural, e defumar
a casa todo dia com ervas da felicidade.
O futuro tem que ser próspero! Sempre um grande amor, um
cavalheiro perfeito, um politico de esquerda (Se a mulher
for intelectual tem que ser da "libelu").

Se tiver filha vai ser atriz, apresentadora ou modelo
internacional. Se for homem, vai ser pastor de igreja,
craque do Real Madri, ministro, e abstêmio de drogas.
As possibilidades são tantas, iguais ou maiores que a
numerologia, e mais diversificada que as profecias de
Nostradamus e as do velho testamento, juntas. Voce pode
interpretar ao sabor dos acontecimentos que qualquer
resultado é bom.

Penso em me estabelecer em Brasília, perto do poder, para
consultar aquelas mulheres endinheiradas e cheias de tédio:
Pagam melhor. Políticos? Vou extorquir cada centavo!
Penso até em colocar um turbante com um rubí falsificado
no meio da testa, e uma barba no melhor estilo dos magos
da Caldeia.

Honestamente, com as mãos calejadas, voce ja viu alguem enriquecer neste país?

O desespero me conduz a isto. Conseguirei arrecadar um
dinheirinho?.

Perdoar-me-as?


             
                Ao mestre e amigo,
             Irmão em Mozart e Puccini,
                  Irmão de Vida!
                 

Jose Balbino de Oliveira
Enviado por Jose Balbino de Oliveira em 09/11/2006
Reeditado em 07/01/2008
Código do texto: T286960

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jose Balbino de Oliveira
Vitória - Espírito Santo - Brasil
386 textos (177810 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 13:59)

Site do Escritor