Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Casa, comida e roupa lavada!

Acho bom começar com uma pergunta:
- Você, dona de casa, esposa, mãe, já parou pra pensar qual seria o sentimento lhe cercaria se voltasse de uma viagem de pelo menos dois dias e houvesse deixado marido e filhos a “cuidar” da casa?... Pensou? (...) Pois foi pouco, é muito pior do que imaginas! É revoltante! Um sentimento de fracasso, impotência... Até mesmo irritabilidade!
Pois foi exatamente assim que me senti essa semana, quando tive que ausentar-me em viagem por três dias para um retorno médico e exames complementares. Antes de ir deixei tudo no lugar, comida pronta na geladeira, bife temperadinho, verduras lavadas e embaladas, a casa toda limpa... Uma beleza! Pensei - já que está tudo arrumado, certinho, acho que posso ir tranqüila. A viagem foi ótima, tudo nos conformes, eu estava feliz por saber que só haveria de fazer novos exames de rotina após um ano; porém, quando no retorno a casa, o que encontro? A começar pela sala, camisetas pelo avesso, chinelos do lado jogados, copo no encosto do sofá... Imaginei, no entanto - a cozinha deve estar em ordem, pois é um espaço que necessita limpeza... Mas ao entrar já me deparei com a pia cheia de louças, tentei achar um copo limpo pra beber água, na verdade tive mesmo que lavar; o chão parecia haver passado uma manada de elefantes; na mesa não cabia mais nada, todos os itens em que o correto seria estarem nos armários, encontravam-se ali expostos, uma tragédia! Então imaginei - minha casa foi assaltada! Segui para o banheiro pensando em tomar um banho para dirimir o cansaço da viagem, contudo, mal consegui abrir a porta e tropecei num par de sapatos, mais adiante, numa toalha jogada e gritei... Putz, que droga! Não foi para a minha surpresa, quando, ao entrar no quarto quase caí dura, pelo visto a liberação proposta pelo médico não iria adiantar, já que a tensão emocional estava mais do que comprovada ao ter que recolher cueca pelo avesso e meias, sujas e emboladas pelo chão; não bastando isso, em cima da cama a toalha de banho molhada, loção de barba, frasqueira do aparelho de barbear aberta com cada peça em um canto da penteadeira. Ah! Ia me esquecendo... Na mesa da copa, um jogo de baralhos e garrafas de cerveja, vazias, percebi naquele visual, tratou-se de uma bela noitada!
No pensamento, uma única pergunta teimava em me atormentar - por que você se casou idiota?

Nina_em_10/11/2006


Essa crônica é um complemento ao meu primeiro texto publicado neste espaço maravilhoso (provando que a vida continua do mesmo jeito, apesar de almejar mudanças) seguiu-se após, 471 textos, com muitas leituras e comentários que em breve estarei divulgando para que meus amigos e parceiros recantistas, também os leitores de uma forma geral possam se divertir um pouco mais.


http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=69744

Aproveito para agradecer cada carinho recebido em forma de comentário e no forum, através dos diversos tópicos em que pude interagir com muitos de vocês e principalmente ao Patrick pela oportunidade concedida, estar vinculada a esse espaço maravilhoso que é o Recanto das Letras!

Abraços a todos!
Nina
Enviado por Nina em 13/11/2006
Reeditado em 16/11/2006
Código do texto: T290082

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Nina_Tupã - SP/ nininha_1308@hotmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Nina
Tupã - São Paulo - Brasil
726 textos (41737 leituras)
2 e-livros (96 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:07)
Nina