Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Migalhas

- Ronaldo eu não agüento mais! Ou você muda ou eu me mudo!
- O que foi que aconteceu agora?
- Mas você ainda pergunta? Eu tenho que fazer tudo nessa casa, você não enxerga um palmo na frente do nariz.
- Mas eu estou de férias, depois de tanto tempo, não posso me dar ao luxo de passar o dia inteiro de pijamas sem fazer nada?
- O problema não é passar o dia inteiro coçando o saco Ronaldo! O problema é o resto!
- E seria?
- Coisas básicas, Ronaldo!
- Por exemplo?
- Você come bolacha no sofá e deixa tanta migalha que é como se estivesse procurando João e Maria!
- Que exagero!
- Mas não acaba aqui, depois das bolachas tem a cerveja, ou melhor, as cervejas. Latinha espalhada por tudo. Outro dia, encontrei uma apoiada entre a veneziana e o vidro. Ah, tenha a santa paciência!
- Esqueci ali quando estava falando ao celular.
- E não é a única coisa que você esquece quando fala ao celular. Basta olhar as portas dos armários da cozinha, do fogão, da despensa, até da geladeira, Ronaldo! Só falta você me dizer que vê pessoas mortas também!
- Da geladeira pode ser, mas do fogão é demais.
- E por falar em geladeira, por que quem limpa a geladeira sou sempre eu? Hein? Você é capaz de encontrar um pote com salada de maionese mofada, abrir, olhar o estado, fechar a tampa e recolocar na geladeira. Não consigo entender!!!
- Simples, a tua salada de maionese tem tanta verdura picada dentro que não sabia se era mofo ou pepino! Se pelo menos você fizesse como fazia minha mãe eu poderia saber quando estivesse estragada.
- Agora quem está exagerando é você! E quem é que usa a pasta de dentes e deixa o tubinho sem tampa, que faz coco e deixa sempre indícios para a polícia científica. Poxa! A escovinha fica ao lado do vaso! Vai cair o braço se usar?
- Olha Maria Helena, quer saber, quem muda sou eu! Você é neurótica!
- Só porque te peço para limpar tua merda sou neurótica?
- Não quero mais discutir, vou dar uma volta e espero, pra nosso bem, que quando voltar, você esteja mais calma.
- Vai e não precisa voltar!
- Como assim, essa aqui também é casa minha!
- Estou cansada Ronaldo! Sinto-me humilhada...
- Você esta chorando?
- De raiva!
- Venha cá Maria Helena!
- Não quero o teu abraço, me deixa em paz!
- Vem cá meu amor, você está estressada com o trabalho, eu te entendo. Senta aqui no sofá que vou preparar a janta pra você.
- Mas está cheio de migalhas...
- Espera aí que eu vou buscar o aspirador pra você deitar descansada, no sofá limpinho. Pronto! Como novo! Deita aqui amor.
- Mas Ronaldo, você não sabe cozinhar um ovo.
- Você não se preocupe, tenta descansar.
- Obrigada, amor. Tem carne assada já pronta na geladeira, basta esquentar, fazer um pouco de arroz e salada.
- Você quer comer tudo isso a essa hora?
- Tem que comer senão estraga Ronaldo.
- E como se faz arroz?
- Olha, é melhor que eu vá fazer a janta. Você fica aqui assistindo o jornal e eu te chamo quando estiver pronto.
- Tem certeza? Eu te ajudo então.
- Obrigada, mas não precisa, você está de férias e merece descansar.
- Mas demora muito pra fazer o arroz? Estou com uma fome.
- Pega umas bolachas e vai enganando a fome assim.
- Vou ver o jornal então, mas se precisar estou aqui na sala, é só chamar que eu venho.
- Toma, bolacha e cerveja gelada pra enganar a fome.
- Obrigado, querida!
- De nada amor, te aviso quando estiver pronto.
- Ok! Te amo!
- Eu também te amo!
Maíra Ribeiro
Enviado por Maíra Ribeiro em 16/11/2006
Código do texto: T292662
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maíra Ribeiro
Itália, 36 anos
31 textos (5307 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:32)
Maíra Ribeiro