CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

AINDA SE VIER NOITE TRAIÇOEIRA...

AINDA SE VIER NOITE TRAIÇOEIRA...

                                Rangel Alves da Costa*


Mesmo escurecida e misteriosa, a noite é tão encantadora que se torna difícil imaginar que nas suas horas o mundo, de repente, se desfaz em pranto. Muitas vezes por um gesto, um fato, um sinal do tempo e da vida.
Tudo é tão silencioso lá fora, a lua apenas ilumina, a janela está aberta e é possível ouvir os sons das folhagens dançando ao vento pelo jardim. Se não houver jardim, tudo vem na imaginação e dança o mesmo bailado, murmura a mesma felicidade, porque a noite permite esse viajar.
Hoje não quero um copo de uísque nem de vinho. Na penumbra da luz apagada e com a luz da vela iluminando somente o que quero enxergar, prefiro muito mais um cálice de saudade, uma dose de lembrança, um trago de bem-querer.
Amo esses momentos porque me permitem embriagar de tanta coisa bonita acontecida e contentar-me em pagar a conta ainda que pelos instantes de dor e sofrimento que surgem. É o amargo sabor da dose que temos de beber na sobrevivência. É sempre assim, na festa onde se finge a felicidade.
Apagar a vela e acender a luz não me faz enxergar nada a mais se meu coração de quietude começa a bater mais forte lembrando-se de tantas coisas de todas as noites de noites assim.
Primeiro ele se pergunta por que quase toda dor e sofrimento, se não surgem na noite, com certeza é nela que retomam sua experiência de reabrir feridas e fazer gritar o olhar que mira a fotografia, o sentimento que revive alguém, o corpo que reencontra sua solidão.
Prefiro sempre o silêncio das lembranças e recordações, os momentos de remexer baús e memória, do que a tristeza anunciada, a angústia visitante, o desespero repentino. Mas não tem jeito se não podemos dizer que o mundo e os outros se esqueçam da gente por um instante.
Nem esquecem nem nos deixam esquecer, pois o fatídico e doloroso sempre nos chega bem antes que a privação realmente ocorra, que a dor se expresse naquilo que a gente gosta ou ama, que a notícia nos chegue desesperada e desesperadora.
Ora, mas bastaria essa angústia rotineira, essa amargura tão conhecida e sempre presente nas noites assim tão noites. Mas não, há sempre um telefone que toca, uma campainha que alerta, um vizinho que grita, um pressentimento ruim.
Nada pior e mais angustiante do que o pressentimento que nos invade de todas as formas para nos dizer que tomemos mais um copo de água para encher a fonte perversa dos olhos. E que não adianta mudar nada, não adianta querer mudar o destino, não adianta pensar que as coisas sejam diferentes.
E nesses momentos aumenta a fé, cresce a fé em Deus, há o apego maior à força da fé e começamos a acreditar que na prece ou na oração aqueles pensamentos ruins passarão como o próprio vento. É muito difícil que nessas horas as pessoas lembrem que tudo na vida é desígnio de Deus, ainda que a dor pareça ser insuportável.
E de repente a pessoa já está chorando. Bem antes que tudo se confirme a pessoa já está chorando, pois são muitos e imensos os mistérios que nos chegam nessas noites traiçoeiras. E somente Deus para nos fortalecer para estes e os próximos embates.
E com razão diz a bela canção:

“Deus está aqui neste momento
Sua presença é real em meu viver
Entregue sua vida e seus problemas
Fale com Deus, Ele vai ajudar você.

Deus te trouxe aqui
Para aliviar o teu sofrimento
É Ele o autor da Fé
Do princípio ao fim
De todos os seus momentos.

E ainda se vier noites traiçoeiras
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo
O mundo pode até fazer você chorar
Mas Deus te quer sorrindo.

Seja qual for o seu problema
Fale com Deus, Ele vai ajudar você
Após a dor vem a alegria
Pois Deus é amor e não te deixará sofrer.

Deus te trouxe aqui
Para aliviar o seu sofrimento
É Ele o autor da Fé
Do princípio ao fim
De todos os seus momentos.

E ainda se vier noites traiçoeiras
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo
O mundo pode até fazer você chorar
Mas Deus te quer sorrindo”.

Talvez um sorriso amanhã, depois dessas dores das noites traiçoeiras.






Poeta e cronista
e-mail: rangel_adv1@hotmail.com
blograngel-sertao.blogspot.com
Rangel Alves da Costa
Enviado por Rangel Alves da Costa em 29/04/2011
Código do texto: T2937784
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Rangel Alves da Costa
Aracaju - Sergipe - Brasil, 51 anos
5006 textos (129761 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/09/14 23:09)