Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Presente de aniversário

Adaptação duma crônica que li tempos atrás, não sei onde, nem de quem é.
Se alguém souber me conte.

DOMINGO

Completei 45 aninhos ontem . Minha esposa que adoro e espero, aconteça o mesmo com ela, deu de presente uma semana numa Academia. Tirando o fato de estar numa forma excelente, músculos em ordem, pernas de maratonista, só a barriguinha de chope incomodando um pouco, adorei!
Liguei ansioso marcando hora vaga . Minha própria personal trainer identificou-se . Como esperava, uma mulher absolutamente normal. 1,75 de altura, 25 anos, 57 quilos bem distribuídos em forma de seios e bunda, loira de cabelos compridos , olhos verdes e uma voz sexy. ( IAHOOOOO!!! Espero que minha mulher não tenha ouvido).

SEGUNDA

Acordaram-me às 6 da matina. Cara, como foi difícil levantar da cama quentinha, mas valeu a pena quando cheguei na academia e vi minha personal me esperando. Identificou-se como Natascha e levou-me por um tour acadêmico . Lábios carnudos, um sorriso espetacular querendo me engolir. Cinco minutos depois tomou meu pulso e estranhou estar tão acelerado. Em silêncio absoluto atribui isso à roupitcha que ela usava: um colant justinho realçando as formas e o bafinho perfumado de hortelã nos meus ouvidos. Adorei fazer os exercícios, a Natascha sempre junto de mim me dando forças. Só doía um pouco eu ter de murchar a barriga cada vez que ela olhava mais firme na minha direção.

TERÇA
 
Duas jarras de café sem açúcar e Aleluia! consegui sair de casa. Natascha estava mais deslumbrante que nunca e me pôs a levantar uma barra de ferro . Ainda teve o desplante de pôr pesos! Eu estava debilitado, as batatas das pernas doendo mas consegui completar UM KM COMPLETO na esteira, depois dos pesos! O sorriso dela depois convenceu-me que todo exercício vale a pena. Como disse o Poeta: Tudo vale a pena se a personal não é pequena! É assim o provérbio, não é?

QUARTA

O único jeito de escovar os dentes essa manhã foi colocar a escova na pia e balançar a cabeça de um lado para o outro. Sei não! Acho que tenho uma hérnia de disco nos peitorais. Só isso explica a dor intensa que me obrigou voltar ao banheiro para outra coisa que não escovar os dentes. Dirigir foi fácil, só doía ao frear e trocar de marcha. Parei em cima da calçada. Natascha ficou furiosa comigo, ela achava que meus ais-ais estavam incomodando os demais sócios da academia. Não sei porque mas achei sua voz estridente demais  essas horas da manhã, principalmente quando colocou-me uma cinta para fazer escalada. Não sei porque inventaram essa merda se existe elevador. Ela me garantiu que isso me faria bem. . . sabe como é! Essas promessas que enchem o saco da gente.

QUINTA

Natascha estava me esperando com um sorrizinho sádico nos lábios. De imediato lembrou-me o Jack Nicholson no filme O iluminado, principalmente na meia hora final. Levei uma bronca por chegar  uma hora atrasado. Será que não entende que esse foi o tempo que levei para calçar as meias e os sapatos? A desgraçada me colocou para trabalhar nos pesos, foi só se distrair saí correndo e me escondi no banheiro. Pois não é que ela mandou outro personal me buscar e me fez trabalhar nos remos ? Me ferrei inteirinho.

SEXTA
 
Que ódio que eu tenho dessa lazarenta da Natascha! Estúpida! Magrela! Anêmica! Vaca parideira! Se eu tivesse uma parte do corpo que pudesse mover eu partiria a cara dela e da vaca que pariu essa desgraçada. Aí ela falou que ia trabalhar meus tríceps. E EU NEM SEI QUE BOSTA É ESSE TAL DE TRÍCEPS? E não bastasse colocar um monte de pesos bem mais pesados que um sanduíche qualquer, ficou com aquela vozinha esganiçada falando de minuto em minuto: Vai! Vai! Vai ela pra putaquepariu! Droga!  Porque não fui fazer algo mais tranqüilo e de macho. Aula de costura, por exemplo.

SÁBADO

A filhada puta da Natascha deixou uma mensagem no meu celular, com aquela voz de lésbica assumida, perguntando porque não apareci hoje na academia. Só ao ouvir aquela voz deu vontade de quebrar o celular, mas como eu não tinha certeza se teria forças suficiente para tal empreitada, desisti.  Pra apertar os botões do controle da televisão eu já havia chamado a empregada. Sem chance alguma de mudar de canal fiquei onze horas e meia assistindo ao maldito National Geografics, vendo uma lazarenta de uma girafa comendo copa de árvores o tempo todo.

DOMINGO

Eu pedi ao vizinho pra ir na missa e agradecer a Deus por mim por ter sobrevivido mais uma semana. Sozinho em casa, eu rezei pra que no  ano que vem, a filhadaputa da minha mulher me presenteie com algo um pouco mais divertido. Sei lá! Um tratamento de canal. Um cateterismo. Um exame de próstata. Qualquer coisa assim serve.
Nickinho
Enviado por Nickinho em 24/11/2006
Reeditado em 10/04/2007
Código do texto: T300304
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nickinho
Ibitinga - São Paulo - Brasil, 63 anos
163 textos (36953 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:22)
Nickinho