Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRA QUE FUMAR?

PRÁ QUE FUMAR?
Marcial Salaverry

Existem coisas que me irritam profundamente.  Uma delas é o desamor pela vida.
Mesmo sabendo dos efeitos nocivos de certos vícios, alguns suicidas em potencial  entram de cabeça, adquirindo-os, mesmo sabendo que assim agindo,  fatalmente irão encurtar sua vida.
Ontem, por exemplo,  fiquei sabendo da morte do filho de um meu amigo. Rapaz de 38 anos, com bom futuro pela frente. Engenheiro, com bom emprego, casado, pai de dois filhos, que agora estão órfãos por causa do cigarro.
Foi vitimado por um enfisema pulmonar, conseguido graças ao vício de fumar.  Mais uma vítima do tabaco... Chega a ser  incrível como nossos jovens ainda não se deram conta do veneno que representa o ato de fumar, que pode ser considerado como autêntica tentativa de suicídio. O que mais impressiona, por pior que possa parecer, é um  suicídio consciente.
Quando eu era jovem, e lá se vão mais de 40 anos, os jovens só fumavam porque era lindo soltar aquela fumacinha pelas narinas.  Era ser macho... Quem não fumava tinha que escutar gracinhas dos amigos.  Foi uma época de “turminhas da pesada”.  Para defender meu direito de não fumar, tive que brigar muito, pois acabava sendo “um estranho no ninho”.  Felizmente nunca me deixei envolver pela insistência da “turminha”.
Nunca fumei, por ter sabido observar os efeitos maléficos do "canudinho fatal" nos pulmões de meu pai.  Meu velho serviu-me  de cobaia, e  felizmente,  eu soube ter o discernimento de jamais sequer experimentar que gosto tinha aquilo.  Não me interessava provar, pois tinha diante de meus olhos qual poderia ser meu futuro, se cedesse às pressões.
Isso antigamente, pois não havia divulgação nenhuma sobre os malefícios do fumo. Mas agora...com toda a mídia trabalhando nesse sentido, não se pode aceitar que alguém comece a fumar alegando desconhecer os efeitos fatais que isso provoca.
Que me desculpem os fumantes...mas que é falta de espírito de preservação, não se pode discutir... Podem alegar que é ótimo que o cigarro mate devagar, pois não tem pressa alguma para morrer... Podem alegar que cada qual se mata como quer, mas pelo menos o façam longe dos não fumantes. Se querem que suas tendências suicidas sejam respeitadas, respeitem também o direito à vida daqueles que preferem maneiras mais suaves, ou pelo menos mais naturais para morrer... Pode ser até com uma bala perdida... pelo menos não será suicídio...
Bem amigos, por hoje chega, estou chateado, indignado  com tudo o que se refira ao sinistro vício... Só me resta, por conseguinte, dar uma profunda respirada no ar limpo da praia em um salutar passeio matinal, e desejar a todos os amigos AQUELE BOM DIA, MAS...SEM O CINZA DA FUMACINHA...
Para terminar, li ontem uma frase deixada por um outro jovem que morreu cedo, não sei se vocês ouviram falar dele...um tal de Mahatma Gandhi, que nos deixou, entre tantas coisas, esta belíssima:
Se eu pudesse deixar algum presente a vocês, deixaria aceso o sentimento de amor à vida dos seres humanos.
Realmente, é para pensar...
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 29/11/2006
Código do texto: T304557
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19843 textos (1961714 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:48)
Marcial Salaverry